São Paulo Justiça de SP decreta prisão de motorista que matou advogado

Justiça de SP decreta prisão de motorista que matou advogado

Rogério Baloti foi indiciado por homicídio por motivo fútil, sem que a vítima tivesse chance de se defender, já que o tiro foi pelas costas

  • São Paulo | Marcos Rosendo, da Agência Record, com informações da Record TV

Advogado é atingido por disparos pelas costas na zona norte de SP

Advogado é atingido por disparos pelas costas na zona norte de SP

Divulgação Polícia Civil

A Justiça de São Paulo decretou a prisão temporária de motorista que matou advogado durante uma briga de trânsito, no bairro da Água Fria, zona norte de São Paulo. Rogério Aparecido Inácio Balioti, que estava em um veículo Audi, disparou um tiro e matou o advogado Daniel Mourad Mazjoub na noite de sábado (7).

Nesta quarta-feira (11) Rogério se apresentou à polícia e prestou depoimento. Ele ficará preso temporariamente por 30 dias. Rogério disse ao delegado que o tiro foi acidental e que foi agredido com dois tapas no rosto pelo advogado Daniel Mourad Mazjoub.

O comerciante disse que depois de atirar no advogado resolveu jogar a arma, um revólver calibre 22, no rio. Rogério Baloti foi indiciado por homicídio qualificado por motivo fútil, sem que a vítima tivesse chance de se defender, já que o tiro foi dado pelas costas.

A polícia esteve na casa de Rogério e apreendeu munições de grosso calibre. O comerciante não tinha antecedentes criminais. O carro Audi prata, que Rogério dirigia no momento do crime, foi apreendido e está sendo periciado.

Suspeito de matar o advogado Daniel Mourad Mazjoub se entregou no 20° Distrito Policial da Água Fria no início da tarde desta quarta-feira (11). Ele entrou pelos fundos da delegacia para se esconder da imprensa.

Os policiais passaram a noite na porta da casa onde o carro do atirador está estacionado na garagem localizada na Rua Benedito Lourenço, altura do número 145, bairro do Tremembé.

Quando a Polícia Civil identificou o carro Audi, foi levantado o registro em nome de uma mulher. Em contato com ela, os policiais disseram que ela não estava colaborando muito com as investigações.

Diante da recusa e uma suposta semelhança entre o pai dela e o atirador, foi decretada prisão para ajudar nas investigações. Depois disso, ela provou que tinha vendido o carro, mas o documento ainda estava no nome dela por algum motivo, então esse pedido decretado foi cancelado.

Os investigadores conseguiram identificar o outro homem que seria de fato o atirador e foi solicitado à Justiça um novo pedido de prisão, que ainda não foi apreciado.

Uma vizinha foi até a residência para alimentar o cachorro da família. Ela contou à equipe da Record TV que não vê nenhum movimento na residência há cerca de quatro dias, a última foi quando o carro foi deixado na garagem. A vizinha afirmou que o homem que mora na residência é um comerciante e que "a família é muito boa e trabalhadora". Ela finalizou afirmando que no local moram o homem, a esposa um adolescente e uma criança.

O caso

O advogado Daniel Mourad Mazjoub, de 47 anos, foi morto a tiros após uma briga de trânsito em São Paulo na Rua Nova Cantareira, altura do número 339, bairro da Água Fria, zona norte de São Paulo, às 20h11 do último sábado (07).

De acordo com o boletim de ocorrência, o filho da vítima, Gabriel Ferreira Ramos Majzoub, de 17 anos, relatou que a família trafegava em um Jeep Compass branco, de placas  DKK1129, quando seu pai se envolveu em uma discussão com o motorista de um Audi A4 prata.

Imagens que a Agência Record teve acesso mostram o momento do crime. Os veículos se emparelharam pela avenida e o advogado desceu do carro para tirar satisfação.

Ao virar para retornar ao carro em que estava, Daniel Mourad foi atingido com um disparo de arma de fogo nas costas. Assim que foi efetuado o disparo, a pessoa que estava no Audi fugiu.

O advogado tenta entrar no carro, mas perde as forças e cai ao chão. A própria esposa do advogado acionou a Polícia Militar e levou, no carro da família, o advogado ao pronto socorro do Hospital São Camilo. Ele não resistiu aos ferimentos e morreu.

A Polícia Militar recebeu um acionamento para uma ocorrência de disparo de arma de fogo no endereço. Chegando no local, foram informados por testemunhas que a vítima havia sido socorrida por meios próprios.

No hospital, onde encontraram a família de Mazjoub, o filho da vítima relatou o que havia acontecido aos policiais. O condutor do Audi, assim como foi flagrado nas imagens, fugiu do local após o crime e, até o momento, não foi identificado.

Equipes policiais seguem em diligência e, com o uso das imagens de câmeras de segurança do local, tentam esclarecer o crime. Foi solicitada perícia para o local, assim como o veículo da família do advogado também foi examinado. Também foi requisitado um carro para a vítima.

Em nota, o Consulado Geral do Líbano no Rio de Janeiro afirmou que "está inteiramente chocada com esse brutal e covarde assassinato, e espera que o assassino seja preso o mais rápido possível".

O caso foi registrado no 20° DP da Água Fria, que se limitou a confirmar o registro do caso, mas afirmou que a investigação está em sigilo e não pode passar nenhuma informação. Daniel Mourad Mazjoub foi sepultado no Cemitério Islâmico de Guarulhos, localizado na Avenida Doutor Timóteo Penteado, número 1509, em Guarulhos às 17h00 deste domingo (08).

Últimas