São Paulo Justiça de SP faz audiência para ouvir empresário que matou ciclista

Justiça de SP faz audiência para ouvir empresário que matou ciclista

José Maria Júnior atropelou Marina Harkot em Pinheiros em 2020 e é acusado de homicídio. Radar flagrou veículo a 93 km/h

  • São Paulo | Do R7

Marina Harkot, que morreu aos 28 anos em São Paulo

Marina Harkot, que morreu aos 28 anos em São Paulo

Reprodução

A Justiça de São Paulo realiza nesta quarta-feira (24) a primeira audiência presencial para ouvir o motorista que atropelou e matou a ciclista e socióloga Marina Kholer Harkot, de 28 anos, em 2020, em São Paulo. O caso teve forte repercussão à época e mobilizou ativistas e ciclistas por mais segurança no trânsito.

O empresário José Maria da Costa Júnior, de 34 anos, dirigia uma Tucson quando atingiu Marina na avenida Paulo VI, em Pinheiros, zona oeste da capital. Dias depois, ele se entregou à polícia.

O MP (Ministério Público) acusa José Maria de ter assumido o risco de matar Marina por ter dirigido embriagado e em alta velocidade. A denúncia já foi aceita pela Justiça, que transformou o empresário em réu por homicídio.

Na denúncia, o promotor Rogério Zagallo citou que radares detectaram a velocidade de 93 km/h nas proximidades dos fatos, em local com limite de 50 km/h. "José Maria realmente assumiu o risco de causar a morte [...], sobretudo porque conduzia um veículo automotor embriagado, além de fazê-lo em velocidade absolutamente incompatível com a da avenida na qual ele transitava", afirmou. Atualmente, Fernando Bolque é o promotor que atua no caso. 

José Maria da Costa Júnior responde em liberdade pelos crimes de homicídio por dolo eventual (em que se assume o risco de matar), dirigir sob efeito de álcool e fuga do local do acidente. O advogado do réu nega que ele tenha ingerido bebida. 

Na audiência, a juíza Marcela Raia de Sant’Anna ouvirá testemunhas e o réu. Além disso, reunirá informações para decidir se há ou não elementos para levar o empresário a julgamento popular.

Últimas