São Paulo Justiça determina prisão preventiva de homem que atropelou e matou cachorro de propósito

Justiça determina prisão preventiva de homem que atropelou e matou cachorro de propósito

Suspeito nigeriano manobrou seu veículo para passar por cima do animal, que estava deitado numa rua da zona leste de São Paulo

  • São Paulo | Letícia Dauer, da Agência Record

Homem deu ré no veículo e passou por cima do cachorro, que ficou preso na roda traseira

Homem deu ré no veículo e passou por cima do cachorro, que ficou preso na roda traseira

Reprodução

Após o pedido do Ministério Público, a Justiça converteu em preventiva a prisão em flagrante do homem que atropelou e matou um cachorro na zona leste de São Paulo. O crime ocorreu na sexta-feira (30). 

Um vídeo mostra o acusado parando o veículo a uma distância de 20 a 30 metros do cachorro, que estava deitado no solo. O homem espera 20 segundos antes de ir em direção ao animal e parar o veículo ao lado dele. Depois, recua em marcha à ré para virar o veículo e passar com a roda direita sobre o cão. O suspeito deixou o local sem prestar socorro.

Na decisão, o Poder Judiciário considerou haver a prova da materialidade e indícios suficientes de autoria do crime de maus-tratos a animais, de acordo com a Lei 9.605/1998.

O caso

Um nigeriano foi preso após atropelar e matar um cachorro, de forma voluntária, em Guaianases. O homem, naturalizado brasileiro, de 46 anos, foi identificado pela Polícia Civil após a divulgação de imagens de segurança que registraram o crime.

Grandão, um vira-lata de 17 anos, era um cachorro tranquilo e amado pelos moradores da rua Salvador de Oliveira, no Jardim Bonifácio. O cãozinho morreu depois de ter sido atropelado, por volta das 11h de 30 de setembro.

Uma câmera de monitoramento flagrou o momento em que o suspeito trafegava em um Fiat/Argo da cor cinza, enquanto o animal estava deitado na rua. O motorista passa por Grandão, mas decide dar ré e, depois, avança na direção dele. O cachorro tenta se levantar, mas não consegue e é atingido em cheio pelas rodas do veículo.

As imagens mostram que o bichinho ficou preso embaixo da roda traseira direita do carro. O homem volta a dar ré e depois acelera novamente, até sair de cima do cachorro.

Uma vizinha ouviu os gritos de Grandão e foi verificar o que havia acontecido. O motorista desceu do veículo para ver o animal, e a mulher aproveitou para confrontá-lo. O homem, então, voltou para o carro e fugiu.

De acordo com Márcio, um dos tutores de Grandão, o animal chegou a ser encaminhado à clínica veterinária, mas, devido à gravidade dos ferimentos, não resistiu.

Ainda segundo o dono do animal, o suspeito utilizou um carro alugado no atropelamento. Com a identificação do veículo, a polícia foi até a locadora para colher os dados do homem que dirigia o carro.

Após ter conseguido o endereço do suspeito, a polícia foi ao apartamento e efetuou a prisão. Aos agentes, o homem negou a intenção de matar o cachorro.

De acordo com o delegado-geral Osvaldo Nico Gonçalves, para a polícia está claro, no vídeo, que o suspeito queria matar o cachorro, uma vez que deu ré.

O homem foi levado para a 1ª Delegacia de Atendimento ao Turista, no centro de São Paulo. Ele responde por maus-tratos, com pena de dois a cinco anos de prisão, que poderá ser agravada com a morte do cachorro.

Um boletim de ocorrência foi registrado na 7ª Delegacia Seccional de Itaquera.

Últimas