Justiça libera alunos acusados de ameaçar professora em Carapicuíba

Os adolescentes estavam apreendidos na Fundação Casa desde o dia 5 de junho, após terem aparecido em vídeo quebrando sala de aula

Aluno joga carteira em escola estadual

Aluno joga carteira em escola estadual

Reprodução

A Justiça de São Paulo liberou os três adolescentes acusados de ameaçar uma professora e vandalizar uma sala de aula da Escola Estadual Maria de Lourdes Teixeira, em Carapicuíba. Os alunos estavam apreendidos na Fundação Casa desde o dia 5 de junho.

De acordo com o delegado Marcelo Prado, do 1° Distrito Policial de Carapicuíba, o juiz ainda não divulgou qual medida socioeducativa será aplicada aos adolescentes. 

Como foi o caso

Ao todo, 10 estudantes protagonizaram cenas de violência dentro da escola de Carapicuíba. Três foram encaminhados para a Fundação Casa e os outros sete alunos, liberados e entregues aos pais. A decisão foi tomada pela Vara da Infância e da Juventude, de Carapicuíba.

Um vídeo mostrou a situação de caos e violência que se tornou a escola. No dia 27 de maio, durante o recreio, dezenas de alunos estavam no pátio do colégio, quando aconteceu uma briga entre estudantes.

A diretora do colégio, que muitas vezes faz o papel de inspetora de alunos, já que a função está vaga por falta de profissional, tentou interceder.

As imagens, do vídeo feito pelo por um aluno, mostram uma grande confusão no pátio da escola e a diretora Clevanir Rocha Tolusso sendo puxada por aluno.

A mulher é empurrada, passa por um portão de ferro atracada ao aluno, enquanto um outro estudante tenta livrar a diretora do agressor.

Um garoto consegue agarrar o estudante que tentava bater na diretora e o puxa para trás. O agressor não desiste e tenta novamente agredir a diretora, mas é imobilizado pelo outro estudante.

As imagens mostram a diretora saindo cambaleante, e, em uma das mãos, segurando o óculos que foi destruído durante a agressão.  

A agressão à diretora Clevanir Rocha Tolusso aconteceu 3 dias antes das cenas de barbárie na mesma escola, quando alunos - dentro da sala de aula - jogaram cadernos, arremessaram carteiras e bancos escolares, além de hostilizarem a professora.

Nos meses de março e abril deste ano, 38 professores e funcionários enviaram um abaixo assinado e um relatório para a Diretoria Regional de Ensino de Carapicuíba e um relatório para a Secretaria Estadual de Educação.

Nos dois documentos, os docentes destacavam que a falta de funcionários, como inspetores e auxiliares de limpeza, estavam trazendo um clima de deteriorização do espaço escolar.

Não só o desenvolvimento pedagógico estava prejudicado, mas a falta de estrutura de pessoal, estava comprometendo a própria segurança dos alunos.