São Paulo Justiça mantém prisão de homem que jogou carro contra ex-mulher

Justiça mantém prisão de homem que jogou carro contra ex-mulher

Marcos Correia se entregou nesta terça (19), em São Paulo, dias após a tentativa de homicídio. Mulher foi agredida com barra de ferro 

  • São Paulo | Mariana Rosetti, da Agência Record

Agressor desceu do carro e tentou matar a mulher com golpes de barra de ferro

Agressor desceu do carro e tentou matar a mulher com golpes de barra de ferro

Reprodução

A Justiça de São Paulo manteve nesta quarta-feira (20) a prisão temporária do homem que jogou o carro contra a ex-mulher e a agrediu com uma barra de ferro. Marcos da Silva Correia, de 37 anos, se entregou nesta terça-feira (19), no 69º DP (Teotônio Vilela), na zona leste de São Paulo. Ele jogou o carro contra um veículo em que a ex-mulher estava com as três filhas e o atual namorado, na sexta-feira (15), menos de uma hora depois de a vítima pedir uma medida protetiva contra ele.

A prisão temporária do ex-marido havia sido decretada pela Justiça de São Paulo mais cedo, e ele era considerado foragido. Segundo a Polícia Civil, Marcos se sentiu pressionado depois de várias operações de busca dos agentes e se apresentou na delegacia. O caso foi registrado como violência doméstica, tentativa de homicídio e lesão corporal na direção de veículo automotor.

A vítima, de 35 anos, que não quis se identificar, informou que uma de suas filhas passou por cirurgia nesta terça-feira. Ela teve o fêmur fraturado no episódio. 

Vídeos registraram a ação do agressor, no Jardim Tietê, na zona leste de São Paulo. A vítima estava na casa do atual namorado com as três filhas, de 13, 8 e 4 anos, quando começou a receber ameaças do ex-marido.

Por telefone, conversando com a filha mais velha da vítima, Marcos chamou a ex-mulher de "vagabunda". Acrescentou que não deixaria barato o fato de as meninas estarem na casa do atual namorado da mãe.

Ela foi até a 8ª Delegacia de Defesa da Mulher, de São Mateus, onde registrou um boletim de ocorrência de violência doméstica, ameaça e injúria, por volta das 18h daquela sexta. Ela também pediu a concessão da medida protetiva de urgência contra Marcos. Criada pela Lei Maria da Penha, a medida visa proteger a integridade das vítimas.

Após o registro na Polícia Civil, a mulher, o namorado e as três filhas, sendo as duas menores fruto do relacionamento com Marcos, retornaram para casa. A vítima manobrava para acessar a garagem do imóvel quando sentiu um impacto na lateral do seu veículo, um Ecosport. Somente momentos depois ela percebeu que Marcos havia atingido propositalmente o seu carro.

Imagens do circuito de monitoramento da casa flagram o momento em que o carro de Marcos bate no veículo da ex-mulher. Com o impacto, o Ecosport atinge pessoas que estão paradas em uma adega vizinha à casa.

Depois de causar o acidente, o homem desembarca do seu carro, um Citroën C3, e caminha até o Ecosport. Marcos, então, retorna para o próprio veículo e pega uma barra de ferro.

Ele caminha em direção à ex-mulher e a agride. Segundo a vítima, Marcos conseguiu atingir seu pescoço com o objeto. Quando as pessoas se dão conta da agressão contra a mulher, Marcos foge a pé, deixando o carro para trás.

A mulher conta que uma viatura da Polícia Militar que patrulhava a região parou para ajudar e acionou o resgate. Uma pessoa que estava na adega ficou ferida, assim como a filha que fraturou o fêmur. 

A vítima relata ter sido casada com Marcos durante oito anos. Ao longo do relacionamento, ele apresentou diversos comportamentos agressivos, motivo pelo qual ela decidiu romper o matrimônio.

A princípio, conta a vítima, a separação se deu de forma amigável, e eles ainda conversavam. O contato foi cortado quando Marcos tentou reatar a relação mas se deparou com o processo de divórcio. As ameaças começaram quando o homem soube que a vítima estava namorando.

Últimas