Justiça ouve duas testemunhas sobre caso de família carbonizada

Acusadas pelo crime, Anaflávia, filha do casal, e esposa Carina Ramos compareceram à videoconferência. Nova audiência será em dezembro

Romuyuki, Flaviana e o filho Juan foram encontrados mortos no ABC

Romuyuki, Flaviana e o filho Juan foram encontrados mortos no ABC

Reprodução/ Record TV

A Justiça de São Paulo ouviu nesta sexta-feira (16), por videoconferência, duas testemunhas no julgamento dos cinco réus acusados de matar e queimar os corpos de uma família do ABC Paulista em janeiro deste ano.

O casal Romuyuki e Flaviana Gonçalves e o filho Juan Gonçalves, de 15 anos, foram encontrados mortos em janeiro deste ano dentro do porta-malas de um carro em chamas em São Bernardo.

De acordo com o Tribunal de Justiça de São Paulo, a audiência será retomada 11 de dezembro, quando as demais testemunhas serão ouvidas.

Em crimes dolosos, quando há intenção de matar, há a possibilidade do caso ser levado a júri popular. Na primeira fase, conhecida como audiência de instrução, as testemunhas de acusação e defesa são ouvidas, e os réus são interrogados.

Caso haja elementos para levar os réus ao júri, na segunda fase, eles são julgados pelo Tribunal do Júri.

Nesta sexta-feira, Ana Flávia, a filha mais velha do casal Romuyuki e Flaviana, sua companheira Carina Ramos, e os outros três que se tornaram réus por participação na morte da família, estavam presentes por videoconferência.

Os réus foram retirados da audiência quando uma testemunha protegida foi ouvida. O grupo não chegou a ser interrogado pelo juiz.

Veja também: Saiba mais detalhes sobre o caso da família carbonizada no ABC Paulista

A audiência deverá, portanto, continuar em uma próxima data, com novas testemunhas identificadas pelo Ministério Público.

Ana Flávia e Carina deverão ser ouvidas no próximo dia 11 de dezembro, em nova data designada pelo juiz Lucas Tambor Bueno, para a conclusão desta primeira fase do julgamento.

O crime

O assassinato da família foi descoberto em 28 de janeiro. Ana Flavia Martins Meneses, filha do casal, e Carina Ramos de Abreu, namorada dela, foram presas um dia depois por serem suspeitas do crime.

Romuyuk, a esposa Flaviana e o filho Juan tiveram os corpos queimados. Eles foram encontrados dentro de um carro, em uma estrada, em São Bernardo do Campo, no ABC paulista.

Jonathan Fagundes Ramos, Guilherme Ramos da Silva e Juliano Oliveira Ramos Junior tiveram a prisão decretada poucos dias depois.