São Paulo Mais de 300 pacientes morreram à espera de UTI na Grande São Paulo

Mais de 300 pacientes morreram à espera de UTI na Grande São Paulo

Outros 128 pacientes ainda aguardam por um leito intensivo nos 39 municípios da região, segundo levantamento da Agência Record

  • São Paulo | Letícia Dauer, da Agência Record

Hospitais de SP estão lotados não têm vagas disponíveis para internação em UTI

Hospitais de SP estão lotados não têm vagas disponíveis para internação em UTI

Reprodução/Record TV

O número de pacientes que morreram à espera de um leito de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) na Grande São Paulo chegou a 312 nesta segunda-feira (5). Outros 128 pacientes ainda aguardam por um leito nos 39 municípios da região. Os municípios de Embu das Artes e Itaquaquecetuba registram 100% de leitos ocupados para tratamento intensivo.

Os números são atualizados diariamente pela Agência Record com informações de prefeituras das 39 cidades que compõem a região sobre a ocupação dos leitos, possíveis filas de espera e óbitos.

As mortes foram registradas em 17 cidades: Franco da Rocha (48), Ribeirão Pires (40), Taboão da Serra (35), Francisco Morato (29), Itapecerica da Serra (27), Caieiras (22), Itaquaquecetuba (21), Guarulhos (19), Diadema (18), Jandira (16), Mauá (11), São Caetano do Sul (11), Rio Grande da Serra (7), Guararema (4), Juquitiba (2), Poá (1) e São Lourenço da Serra (1).

Em comparação com a semana passada, houve um crescimento de 55% no número de óbitos de pacientes que esperavam por um leito de UTI. Em 22 de março, eram 93.

Confira a situação em cada uma das cidades da Grande São Paulo:

Taboão da Serra não tem leitos municipais de UTI. O percentual de ocupação de leitos de enfermaria é de 85,71%;

- Itapecerica da Serra não possui UTI. O número de pessoas na fila de espera por uma vaga é 15 pacientes;

- Caieiras tem 93,75% dos leitos de UTI ocupados, 87,1% das enfermarias ocupadas e 11 pacientes à espera por um leito de UTI via Cross (Central de Regulação de Serviços de Saúde);

- Ribeirão Pires tem 82% de leitos de emergência utilizados; O número de pessoas em fila de espera por uma vaga de UTI neste momento é de 5 doentes/

- Itaquaquecetuba tem 100% dos dois tipos de leitos ocupados e 6 pessoas em fila de espera por uma vaga de UTI;

- Diadema tem taxa de ocupação de leitos sob gestão municipal para pacientes com suspeita e/ou confirmação de covid-19 de 100% para UTI e 95,5% para enfermaria. Há 13 pessoas em espera por vaga na UTI;

- Jandira tem 10% dos leitos com SVP e 9,1% dos leitos de enfermaria ocupados. Uma pessoa aguarda na fila de espera por uma vaga de UTI.

- São Caetano do Sul tem taxa de ocupação de 34% no hospital de campanha, 87,5% no Complexo Hospitalar de Clínicas e 60% em enfermaria. Há 8 pacientes aguardando por vaga em UTI;

- Rio Grande da Serra não tem leitos UTI e enfermaria disponíveis. Há 3 pacientes aguardando leito de enfermaria e 1 à espera de UTI;

- Guararema tem enfermaria em 36,84%. O município não conta com leitos de UTI e uma pessoa está na fila de espera por uma vaga de UTI;

- Juquitiba tem 30% dos leitos de enfermaria ocupados, não tem UTI no município livre e uma pessoa está na fila de espera por tratamento intensivo;

- Poá tem 50% dos leitos de enfermaria e emergência ocupados e 5 pacientes na fila de espera;

- São Lourenço da Serra não tem leitos de UTI disponíveis, mas nenhum paciente espera por uma vaga de emergência;

- Osasco tem 93% de UTIs ocupados, 74,8% das enfermarias, mas não há pessoas em fila de espera;

- Itapevi tem 78% dos leitos ocupados de enfermaria e 85% de ocupação UTI. São 5 pacientes em fila de espera por uma vaga de UTI;

- Cotia está com 42% dos leitos amarelos e vermelhos da UPA e Pronto Atendimento ocupados. Há 3 pacientes à espera por leito hospitalar via CROSS;

- Santo André conta com suporte de UTI tanto em UPAs, hospitais padrão e dois hospitais de campanha;

- Ferraz de Vasconcelos conta com suporte de UTI tanto em UPAs, hospitais padrão e dois hospitais de campanha;

- Carapicuíba tem 58% das enfermarias ocupadas, 98% de UTIs e o número de pessoas em fila de espera por uma vaga de tratamento intensivo é de 14;

- Embu das partes tem taxa de ocupação em leitos de UTI de 100%. Nas enferrmarias, a ocupação é de 87%; Atualmente, existem 18 pacientes aguardando vaga de UTI;

- Vargem Grande Paulista não tem Hospital, apenas leitos de enfermaria que seguem com a seguinte ocupação: cerca de 46% dos leitos ocupados e 9 aguardando vaga;

- Suzano tem porcentagem de ocupação de leitos de enfermaria e UTI: 88% (59 de 67) e 85% (17 de 20), respectivamente. Duas pessoas estão na fila de espera por uma vaga de UTI;

- Barueri tem taxa de ocupação para UTI de 95,06% e de 98,73% para enfermaria. Há 14 pessoas em fila de espera por uma vaga de UTI;

- São Bernardo do Campo informa que a ocupação dos leitos de UTI está em 90% e de enfermaria em 71%. Aguardam na fila de espera da Cross 18 pacientes para vaga em enfermaria e 22 para vaga em UTI;

- Cajamar tem porcentagem de ocupação dos leitos de UTI de 83,3%. Já a porcentagem de ocupação dos leitos de enfermaria do Hospital de Campanha é de 100%. Não existe fila de espera até o momento;

- Mairiporã tem ocupação de 80% na UTI e não há nenhuma pessoa na fila.

Últimas