São Paulo Marido que matou a própria mulher em briga por futebol é solto em SP

Marido que matou a própria mulher em briga por futebol é solto em SP

Preso preventivamente por homicídio qualificado após confessar o crime, empresário foi liberado menos de um mês após o crime

  • São Paulo | Do R7

Empresário ficou menos de um mês preso

Empresário ficou menos de um mês preso

Reprodução/Record TV

O empresário Leonardo Souza Ceschini, preso após matar sua esposa a facadas na casa em que o casal morava na Vila Mangalot, zona oeste de São Paulo, após uma discussão por futebol, foi solto na manhã desta quinta-feira (25). Mesmo tendo confessado, o empresário ficou menos de um mês preso.

A decisão foi tomada pela Juíza Giovanna Colares, da 5ª Vara Criminal, alegando que o homem havia sido preso preventivamente e, nesse caso, a denúncia contra ele deveria ser apresentada em até cinco dias, após a conclusão do inquérito policial.

O caso foi registrado como homicídio qualificado, mas, em denúncia, o MP-SP (Ministério Público de São Paulo), pede que o empresário responda por feminicídio, crime mais grave com punições maiores. No momento, Leonardo responde em liberdade após assumir o crime.

O caso

Segundo vizinhos, o casal começou uma briga após comemorações pelo título conquistado pelo Palmeiras, time da vítima, no último dia 30 de janeiro, pois seu marido torce pelo Corinthians - equipe rival.

No local, os agentes encontraram a mulher com diversos ferimentos de faca. Foi realizado atendimento, mas a mulher morreu ainda no local. O homem também tinha ferimentos.

O suspeito contou à polícia que foi a mulher quem o atacou com a faca primeiro, e que teria tomado a arma de sua mão e ferido ela. Ainda de acordo com a polícia, o casal tem filhos gêmeos, de 2 anos, que estavam no apartamento no momento do crime. O homem foi encaminhado ao hospital e permaneceu sob escolta policial até a alta médica.

Últimas