São Paulo Mecânico é morto em abordagem policial na zona leste de São Paulo

Mecânico é morto em abordagem policial na zona leste de São Paulo

Guilherme Lima, de 25 anos, foi atingido por um tiro nas costas quando dirigia um Honda prata. Crime ocorreu em A.E. Carvalho

  • São Paulo | Marcos Rosendo, da Agência Record

Mecânico é morto por policiais em tentativa de abordagem na zona leste de SP

Mecânico é morto por policiais em tentativa de abordagem na zona leste de SP

Reprodução

Um mecânico foi morto por policiais civis em um carro durante uma tentativa de abordagem em Itaquera, na zona leste da capital. O crime ocorreu por volta das 3h desta quinta-feira (25), na rua Terra Brasileira, próximo à avenida Caititu, região de A.E. Carvalho.

Guilherme Tibério Lima, de 25 anos, foi atingido por um tiro nas costas quando dirigia um Honda prata. O mecânico estava no carro acompanhado de um amigo, de 18 anos, sentado no banco do passageiro.

O amigo prestou depoimento na noite desta quinta-feira (25) no DHPP (Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa). Ele disse ao delegado que, na noite de quarta-feira (24), se encontrava no Hospital Ermelino Matarazzo, onde o pai dele estava internado.

Guilherme e o amigo tiveram de ir à casa do paciente para buscar uma receita médica. No trajeto, quando estavam na rua Terra Brasileira, um feixe forte de luz foi lançado contra o carro. Eles pensaram que poderia ser um assalto, já que não tinham ouvido sirenes nem avistado nenhuma viatura policial ou cones que indicassem uma blitz.

Guilherme acelerou o carro, e o amigo escutou estampidos. Na sequência, o motorista perdeu a direção do veículo, que bateu em um muro, rente a um poste. Ele foi baleado e morreu. O jovem foi atingido de raspão no peito e, após ser socorrido pelo Samu, foi levado à AMA Sé, onde foi medicado. O ferimento foi superficial.

O caso foi registrado no DHPP, mas o boletim de ocorrência ainda não foi liberado. Os policiais do 24º Distrito Policial também estiveram no DHPP, onde apresentaram sua versão ao delegado.

O advogado Adriano Dantas Rodrigues, que representa a família das vítimas, disse que Guilherme era um jovem trabalhador, sem nenhuma passagem policial. Atualmente Guilherme trabalhava em um centro automotivo como mecânico.

O corpo será velado nesta sexta-feira (26), a partir das 7h, no Cemitério da Saudade, na avenida Pires do Rio, em São Miguel Paulista. O sepultamento deve ocorrer às 16h.

Últimas