Médica picada por cobra no MT é transferida para hospital de SP

Dieynne Saugo já passou por cirurgia e transfusão de sangue. Ela foi picada durante banho de cachoeira e família fez vaquinha para pagar tratamento 

A médica Dieynne Miranda Saugo, que foi picada duas vezes por uma cobra venenosa durante um banho de cachoeira em Nobres, no Mato Grosso, foi transferida do Complexo Hospitalar de Cuiabá para um hospital de São Paulo depois da piora no quadro clínico.

Ainda em Cuiabá, ele fez uma transfusão sanguínea e, nas redes sociais, a família dela pediu a doação urgente de sangue. Depois agradeceu a todos que colaboraram. 

A transferência para a capital paulista foi na noite desta quinta-feira (3) e confirmada no Instagram da médica pela irmã dela, Nathalia Saugo Paiva, que escreveu: "Nossa querida Dy, aquela que sempre vimos alegre, ligada no 220, agora está passando por um momento delicado. Nossa doutora fit foi atacada por uma cobra venenosa e está internada na UTI (Unidade de Terapia Intensiva)".

Leia mais: Campanha arrecada 14 toneladas de alimentos com dança de capitão

A família decidiu pela transferência porque os leitos de Cuiabá com médicos especialistas estavam lotados. Mas os custos do táxi aéreo e de internação são muito altos, por isso a irmã organizou uma vaquinha virtual e pede a doação de dinheiro.

Médica sendo transferida para SP

Médica sendo transferida para SP

Reprodução / Instagram

A meta é conseguir R$ 300 mil na "vaquinha da DY". Segundo Nathalia Saugo, "de pouquinho em pouquinho, vamos conseguir pagar essa dívida".

A médica vai passar por cirurgia, mas agora é atendida em São Paulo por equipe especializada.

Veja também: 'Eu era saudável, mas complicações após covid-19 mudaram minha vida'

O caso

Dieynne foi picada no rosto e no braço depois que a cobra venenosa caiu na queda d' água enquanto a vítima se banhava. O animal tinha cerca de dois metros de comprimento.

Amigos da médica filmaram o momento do ataque. Nas imagens, é possível ver quando ela começa a gritar. A pousada em que o grupo estava hospedado não tinha soro antiofídico.

A vítima foi encaminhada para um hospital em Cuiabá, onde passou por cirurgia e foi internada em estado grave na UTI. 

Leia ainda: Prefeitura de SP faz pesquisa com alunos de 4 a 14 anos sobre covid-19

Cobra tinha cerca de 2 metros e picou a médica no rosto e no braço em MT

Cobra tinha cerca de 2 metros e picou a médica no rosto e no braço em MT

Reprodução/Record TV