São Paulo Metroviários de SP fazem greve de 24 horas nesta quarta-feira (19)

Metroviários de SP fazem greve de 24 horas nesta quarta-feira (19)

Categoria está parada para exigir reajuste salarial e Participação nos Resultados de 2019 e 2020. Não houve acordo com o Metrô

  • São Paulo | Do R7, com informações da Agência Estado

Funcionários decidiram parar por 24h

Funcionários decidiram parar por 24h

Roberto Casimiro/Fotoarena/Fotoarena/Estadão Conteúdo – 19.05.2021

Os funcionários do Metrô de São Paulo estão em greve por 24 horas desde a meia-noite desta quarta-feira (19). A decisão foi tomada durante assembleia da categoria na terça-feira (18), após as negociações com o governo estadual não terem avançado na última semana. 

No começo da manhã, às 5h37, o Metrô informou que acionou o sistema PAESE. A partir das 6h, 100 ônibus serão disponibilizados para atender a Linha 1-Azul, 100 para a Linha 3-Vermelha e 60 para Linha 2-Verde. Essas viagens serão gratuitas. 

Administradas por outras concessionárias, a Linha 4-Amarela (ViaQuatro) e a Linha 5-Liás (ViaMobilidade) funcionam normalmente. 

A indicação da greve ocorreu por volta das 21h, para que as equipes noturnas participassem da paralisação e não fossem ao trabalho ainda na noite de terça. 

Durante a tarde, houve uma assembleia com representantes dos metroviários e do TRT (Tribunal Regional do Trabalho), para tentar estabelecer um acordo entre a categoria e o governo de São Paulo. Entretanto, nenhum representante da administração compareceu. Dirigentes do sindicato classificaram a atitude como "um desrespeito à categoria".

Em comunicado oficial, a categoria afirmou também que o Ministério Público do Trabalho (MPT) sugeriu uma proposta de acordo na segunda-feira (17), que foi descartada pela Companhia do Metropolitano de São Paulo.

"Não estamos pedindo aumento, estamos pedindo o reajuste inflacionário (do salário). É claro que, se vier alguma proposta de negociação, estamos dispostos a conversar e não paralisar o metrô. Mas isso está nas mãos do governo e do Metrô", afirmou mais cedo Camila Lisboa, uma das coordenadoras do sindicato.

Os dirigentes alegam que a categoria está há dois anos sem reajuste salarial e sem receberem a Participação nos Resultados (PR) referentes aos anos de 2019 e 2020.

Últimas