'Ministério Público é sempre pela ciência', diz procurador-geral de SP

"Momento é de salvar vidas e o Ministério Público vai trabalhar com esse intuito no combate à pandemia", afirmou Mário Sarrubbo, recém empossado

"Momento é de salvar vidas e o Ministério Público vai trabalhar com esse intuito"

"Momento é de salvar vidas e o Ministério Público vai trabalhar com esse intuito"

Reprodução / MPSP

Empossado novo procurador-geral de Justiça de São Paulo na tarde de sexta-feira (17), Mário Sarrubbo afirmou que vai instalar um gabinete de crise - com a participação de médicos - para desenvolver estratégias e coordenar o trabalho do Ministério Público em meio à pandemia do coronavírus.

"Salvar vidas é a nossa meta principal. O momento é o de salvar vidas e o Ministério Público vai trabalhar com esse intuito, no combate à pandemia, e tomar as providências necessárias em prol da população", disse Sarrubbo.

Leia mais: Mário Sarrubbo é anunciado como procurador-geral de Justiça de SP

Questionado sobre o isolamento social como medida para conter a disseminação da doença, o novo chefe do Ministério Público paulista defendeu que se obedeçam às recomendações da Organização Mundial da Saúde. "Eu fico com a ciência. A ciência tem recomendado o confinamento nesses termos, e a visão do Ministério Público é sempre pela ciência."

Qual será a primeira medida do sr. como procurador-geral de Justiça?

Nós vamos instalar um gabinete de crise, porque entendemos que o Ministério Público neste momento, apesar de todo o trabalho que já vem sendo feito, precisa de uma melhor estratégia, uma coordenação. O gabinete definirá estratégias para nossa atuação nos mais variados campos, como na questão das políticas de saúde da criminalidade, da violência doméstica, da infância, do direito do consumidor, da violência de rua, do atendimento de população de rua. E, o mais importante, é um gabinete de crise para que o Ministério Público possa intervir positivamente e salvar vidas, que é a nossa meta principal. O Ministério Público trabalhará para salvar vidas. O gabinete contará com médicos de renome que auxiliarão com uma visão especializada para que o Ministério Público possa atuar. A ideia é irradiar políticas institucionais para que promotores do Estado possam desenvolver um trabalho ainda melhor. O momento é o de salvar vidas, e o Ministério Público vai trabalhar com esse intuito, trabalhar no combate à pandemia e tomar as providências necessárias em prol da população.

O sr. defende o isolamento horizontal ou vertical? Como avalia a condução das políticas frente à pandemia?

Acredito que o ideal é que se obedeçam às recomendações da Organização Mundial da Saúde. Eu fico com a ciência. A ciência tem recomendado o confinamento nesses termos, e a visão do Ministério Público é sempre pela ciência.

Como o sr. pretende administrar um Ministério Público praticamente a distância dos promotores por causa da crise do novo coronavírus?

Isso tem sido um grande aprendizado para todos nós, e o Ministério Público conta com ferramentas tecnológicas suficientes para que se possa trabalhar a distância. Isso tem sido feito há cerca de quatro semanas, as ferramentas têm se mostrado eficazes. Acabei de tomar posse por uma ferramenta tecnológica, foi uma posse virtual. E isso tem sido muito produtivo, nossa produção tem sido muito intensa.