Moradores de Guarulhos protestam na Fernão Dias por morte de jovem

Manifestação, realizada nesta terça-feira (11) no km 84 da rodovia, foi motivada pela morte de motoboy em ação da PM no último domingo (9)

 

Manifestantes atearam fogo em pneus e pedaços de madeira para bloquear, durante a noite desta terça-feira (11), uma pista da Rodovia Fernão dias na altura do 84, região de Guarulhos, na Grande São Paulo.

O protesto, que teve início às 19h30 e terminou cerca de uma hora depois, foi motivado pela morte de um motoboy, de 25 anos, ocorrida no domingo passado em decorrência de uma ação policial em uma comunidade no vizinho bairro do Jaçanã, na zona norte da capital paulista.

Leia também: Obras na Dutra complicam acesso para o aeroporto de Guarulhos

De acordo com informações da Polícia Rodoviária Federal, os moradores que organizaram o ato não ofereceram resistência aos policiais e rapidamente retiraram da pista o entulho e material utilizados para obstruir a passagem de veículos.

 

Por causa da interdição, ocorrida na pista sentido São Paulo, o congestionamento na rodovia chegou a três quilômetros. Após o fim da manifestação, o tráfego voltou a se desenvolver em boas condições.

O caso

A Polícia Militar recebeu um chamado para uma ocorrência de um homem que foi baleado na Rua Rua Japaranduba, altura do número 60, no bairro do Jaçanã, na zona norte de São Paulo por volta das 23h do último domingo (9).

O Copom (Centro de Operações da Polícia Militar) não possui detalhes sobre as circunstâncias do ocorrido ou mesmo sobre o autor dos disparos. Segundo a PM, o rapaz foi atendido pela equipe de resgate e encaminhado ao pronto socorro do Hospital Jaçanã.

Uma moradora que disse estar próxima ao local onde aconteceu a ocorrência entrou em contato com a Record TV sem se identificar e afirmou que a pessoa baleada era um rapaz de prenome Leandro.

Segundo a testemunha, Leandro seria um entregador de pizza que trabalhava na região. Ainda de acordo com o relato da mulher, ele teria sido atingido por um disparo vindo de um policial em uma suposta abordagem. Os agentes teriam demorado na solitalção do resgate e a própria família levou o rapaz ao hospital, mas, segundo ela, ele não resistiu e morreu.

De acordo com informações do boletim de ocorrência, o policial militar, de 35 anos, informou que realizava patrulhamento pela região quando avistou um grupo de motociclistas causando tumulto. Por este motivo, teria sacado a arma e efetuado um disparo acidental.

 

A arma do policial foi apreendida e encaminhada para perícia. O caso foi registrado como homicídio culposo (não intencional) no 73º DP (Jaçanã). O agente público foi preso em flagrante, pagou fiança de R$ 1 mil e liberado em seguida.

Outro lado

A Polícia Militar esclarece que, em razão dos fatos ocorridos, foi instaurado um IPM (Inquérito Policial Militar) para apurar todas as circunstâncias e que a Corregedoria da corporação acompanha as investigações. O socorro foi prestado pelo Corpo dos Bombeiros e a ocorrência apresentada no 73º DP (Jaçana) — posteriormente o caso foi encaminhado ao DHPP (Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa).