São Paulo Motorista de app indiciado por estupro alega ter sido seduzido

Motorista de app indiciado por estupro alega ter sido seduzido

Vítima saiu embriagada de festa e seguia de Pinheiros, na zona oeste de SP, para casa, no centro. Trajeto que levaria 20 minutos durou 5 horas

  • São Paulo | Do R7, com informações da Record TV

Vítima seguia de casa noturna em Pinheiros para sua casa, no Centro

Vítima seguia de casa noturna em Pinheiros para sua casa, no Centro

Reprodução Google Street View

O motorista de 47 anos indiciado por estupro de uma passageira de 20 anos durante uma corrida com o aplicativo 99 Táxi alegou à polícia que a vítima o seduziu, de acordo com informações do 78ª DP (Distrito Policial), que conduz as investigações. O suspeito se apresentou às autoridades acompanhado do seu advogado no domingo (1) à noite. O caso ocorreu na madrugada da segunda-feira (24).

O motorista afirma ter tentado fugir das investidas da garota. Imagens de câmeras de monitoramento mostram que às 5h09 da manhã, em uma rua vazia, o homem desce do banco da frente de um carro estacionado e passa para o de trás. De acordo com as investigações, ele teria ido estuprar a passageira. Só neste endereço, o carro ficou parado por 40 minutos.

Leia também: São Paulo registra 270 casos de assédio durante o Carnaval de rua

A vítima é do interior de São Paulo. Está na capital para fazer faculdade e mora com duas amigas. A jovem saiu da Praça John Graz, 784, em Pinheiros, na zona oeste. Às 4h08, ela solicitou a corrida até a sua casa, localizada no centro da capital. A corrida, que deveria durar 20 minutos, levou 5 horas.

Ela afirma que tem lapsos de memória sobre o percurso. De acordo com o boletim de ocorrência, em um desses, ela se lembra de ver o motorista ao seu lado, no banco traseiro do veículo, com as calças abaixadas. Foi só quando já estava em seu apartamento que se deu conta do que tinha vivido. Consultoun o aplicativo no celular e viu que havia feito uma corrida em um Honda City preto. Segundo a moça, o valor cobrado foi de R$ 109,07. Como o aplicativo disponibilizava a foto do homem, ela logo o reconheceu. O motorista nega a versão da passageira.

A estudante recebeu atendimento médico especializado. Está tomando um coquetel de medicamentos para prevenir doenças sexualmente transmissíveis. E passou por exames para confirmar o estupro.

O motorista tem 47 anos, é casado e tem três filhos. Ele foi indiciado e liberado por falta de provas.

Empresa

Em nota, a 99 afirmou que baniu o motorista da plataforma e mobilizou uma equipe "que manteve contato com a passageira para oferecer todo o acolhimento e suporte necessários". A empresa está disponível para colaborar com as investigações da polícia.

"A plataforma lamenta profundamente o caso e reitera que repudia veemente esse tipo de violência. Temos uma política de tolerância zero em relação a isso. Por isso, dedicamos nossos esforços na prevenção, proteção e acolhimento de todos os usuários da plataforma, principalmente para as mulheres."

Ainda de acordo com o aplicativo, "passageiras e motoristas que tenham sofrido esse tipo de violência devem reportar imediatamente para a empresa, por meio de seu app, ou no telefone 0800-888-8999.

Últimas