São Paulo Motorista é condenado a 24 anos por matar mulher atropelada em SP

Motorista é condenado a 24 anos por matar mulher atropelada em SP

O marido da vítima e um amigo também foram atropelados na ocasião, em 2016, pelo homem que estava dirigindo bêbado na zona oeste de SP

  • São Paulo | Do R7

Anariá Recchia morreu atropelada em 2016

Anariá Recchia morreu atropelada em 2016

Reprodução/Facebook

A 5ª Vara do Júri do TJ-SP (Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo) condenou, nesta sexta-feira (27), o motorista Erick Silveira dos Santos, que atropelou três pessoas, entre elas Anariá Recchia, de 32 anos, que morreu, em maio de 2016, na calçada de um bar em Pinheiros, zona oeste de São Paulo.

Erick estava dirigindo bêbado e em alta velocidade, conforme apontam as ivnestigações. Ele perdeu o controle, invadiu a calçada e atingiu Anariá, o marido dela e um amigo do casal. Os três foram levados ao hospital em estado grave, e a mulher não resistiu.

Ele foi preso em flagrante logo depois do crime. De acordo com a decisão do júri desta sexta-feira, presidida pelo juiz Adilson Paukoski Simoni, o encarceramento nesse caso é necessário "para a segurança da ordem pública", e que o aumento de casos como o dele tem causado uma "intranquilidade social".

Lembre o caso

Anariá estava na mesa de um bar na calçada na noite de um domingo, 15 de maio de 2016, quando foi atingida. O marido dela e um amigo também ficaram feridos.

Ela foi a vítima que havia ficado em pior condição no momento do acidente, com quadro grave desde os primeiros socorros médicos. Foi levada para atendimento no Hospital das Clínicas. A instituição confirmou o óbito da mulher na segunda-feira, um dia depois.

Erick dirigia com alto teor de álcool no sangue quando perdeu o controle do veículo. Ele foi preso em flagrante.

Segundo relato de testemunhas na ocasião, instantes antes do acidente, um veículo também passou em alta velocidade. Logo atrás veio o carro branco que atingiu os frequentadores do bar.

"Um carro preto passou 'a milhão'. O motorista tentou fugir, saiu correndo pela rua Belmiro Braga, mas foi segurado. Estavam na mesa a moça, o marido e um amigo", contou a professora de Inglês Letícia Rodrigues, de 23 anos, na época.

Ao atropelar as três vítimas, o motorista acelerou o veículo para deixar o local, mas não conseguiu dar partida. Ele tentou abrir a porta, mas também não conseguiu. Então, saltou pela janela.

"Agarrei ele e falei: 'você não vai correr'. Ele foi levado para longe das pessoas e ficou cercado lá. Ele estava com medo de ser agredido", afirmou uma testemunha que não quis se identificar na ocasião.

Últimas