São Paulo Muro de vidro da USP amanhece quebrado pela 3ª vez em 20 dias

Muro de vidro da USP amanhece quebrado pela 3ª vez em 20 dias

Prefeito de São Paulo entregou a conclusão da primeira etapa do novo muro no dia 4 de abril. A obra completa, no entanto, será inaugurada em maio

Muro de vidro da USP amanhece quebrado nesta terça (24)

Muro de vidro da USP amanhece quebrado nesta terça (24)

Amanda Perobelli / Estadão Conteúdo

O muro de vidro da Raia Olímpica da USP (Universidade de São Paulo), ao lado da marginal Pinheiros, amanheceu quebrado novamente nesta terça-feira (24). É a terceira vez em 20 dias que o objeto é depredado.

Desta vez, a Polícia Militar foi acionada por volta de 1h56 e, ao chegar no local, encontrou os vidros da raia quebrados.

Na última sexta-feira (20), duas partes do muro amanheceram quebradas. Contatada, a Secretaria das Prefeituras Regionais confirmou os danos, mas não deu detalhes sobre o caso. Apenas comentou que equipes trabalhavam na execução do muro, além de providenciarem a substituição da peça danificada. Mais tarde, a pasta enviou uma nova nota, dizendo que a peça foi substituída.

A primeira vez aconteceu na quarta-feira (18). A peça foi trocada por outro painel que seria utilizado na obra de extensão do muro, que deverá ter 2,2 quilômetros com a inauguração de outro trecho até maio.

Painel de vidro da USP aparece danificado na quarta-feira (18)

Painel de vidro da USP aparece danificado na quarta-feira (18)

Felipe Rau / Estadão Conteúdo / 18.04.2018

Proposta

O prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), entregou a conclusão da primeira etapa do novo muro da Raia Olímpica da USP (Universidade de São Paulo) no dia 4 de abril. A obra completa, no entanto, será inaugurada em maio.

Cada painel tem 1,80 metro de largura e 3,15 metros de altura. Os vidros são temperados com 12 milímetros de espessura e película de proteção. As placas de vidro também estão recebendo adesivos com imagens para evitar a colisão das aves que voam na região. No total, serão usados 12.680 m² de vidro jumbo (221.000 kg).

Obras

A primeira fase da obra foi iniciada em outubro de 2017 e a demolição de parte do muro de concreto ocorreu no último dia 31 de março. A segunda fase já está em andamento e a obra completa está prevista para ser inaugurada em 5 de maio.

O projeto é assinado pelo escritório de arquitetura Jóia Bergamo. Orçado em R$ 20 milhões, está sendo custeado por mais de 40 empresas, não onerando financeiramente a Universidade.

"Foram oito meses de trabalho para chegar a este resultado desde o planejamento ao início da execução. É uma obra inusitada. É a maior extensão em linha reta de vidro da América Latina", disse Doria.

Por meio de nota, a Prefeitura de São Paulo informou que repudia os atos de vandalismo contra o muro de vidro da USP, uma obra da universidade custeada pela iniciativa privada em benefício da cidade. Para colaborar com a segurança do local, a Prefeitura afirmou que fará um convênio com a USP para que a Guarda Civil Metropolitana possa patrulhar a área.