São Paulo Operação combate lavagem de dinheiro de jogos de azar em SP

Operação combate lavagem de dinheiro de jogos de azar em SP

São 33 investigados, além de pessoas jurídicas. São cumpridos 76 mandados de busca e apreensão em 19 cidades paulistas

  • São Paulo | Edilson Muniz, da Agência Record

Operação conjunta combate lavagem de dinheiro de jogos de azar em São Paulo

Operação conjunta combate lavagem de dinheiro de jogos de azar em São Paulo

Divulgação

Auditores fiscais da Sefaz-SP (Secretaria da Fazenda e Planejamento do Estado de São Paulo) participaram, nesta quarta-feira (22), da Operação Noteiro, com o objetivo de desmantelar uma organização criminosa de lavagem de dinheiro decorrente da exploração de jogos de azar em todo o país. São investigadas 33 pessoas, além de diversas pessoas jurídicas.

A ação foi deflagrada pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), do Ministério Público de São Paulo, em atuação conjunta com a Sefaz e as Polícias Civil e Militar.

São cumpridos 76 mandados de busca e apreensão em Barueri, Francisco Morato, Santana de Parnaíba, São Paulo, Campinas, Itatiba, Itupeva, Itaquaquecetuba, Piracicaba, São Pedro, Ribeirão Preto, Guarujá, Praia Grande, Barretos, Franca, Miguelópolis, Nuporanga, Rifaina e São Joaquim da Barra.

Segundo a investigação, o esquema se aproveitava da constituição de empresas formais que, ao realizarem negócios entre elas e emitirem documentos fiscais referentes às transações, acobertavam movimentação financeira de jogos de azar no valor de R$ 170 milhões, entre janeiro de 2017 e dezembro de 2021.

O valor foi absorvido por supostas atividades de venda de noteiros (validadores de cédulas) para estações de acesso à internet, locação de instalações, com branqueamento por empresas de veículos e construtoras.

Os integrantes da organização criminosa são investigados em dois procedimentos do Gaeco. Além das buscas, foi determinado o sequestro dos bens dos investigados, entre contas bancárias, veículos, imóveis e outros ativos com valor econômico.

Participam da operação 24 promotores de Justiça, 33 servidores do Ministério Público, 40 auditores fiscais, oito delegados, 95 policiais civis e 156 policiais militares.

Últimas