São Paulo 'Pedi para correr, mas ele levou 2 tiros', diz amigo de ferido em escola

'Pedi para correr, mas ele levou 2 tiros', diz amigo de ferido em escola

Estudantes da escola estadual Professor Raul Brasil, em Suzano, estavam no horário de intervalo quando ouviram um estrondo e começaram a correr

Estudante afirmou que um dos atiradores tinha ideal violento

Estudante afirmou que um dos atiradores tinha ideal violento

Reprodução Record TV

"Eu chamei ele, pedi para ele correr, mas ele estava em choque, ficou parado, e acabou levando dois tiros, um no peito e um na barriga", disse um adolescente amigo de um dos feridos no massacre na escola estadual Professor Raul Brasil, em Suzano, Grande São Paulo, na manhã desta quarta-feira (13).

Pelo menos dez pessoas morreram, de acordo com informções da Polícia Militar.

Veja mais: Sobe para dez o número de mortos no massacre em escola de Suzano

Segundo outro estudante, eles estavam no horário de intervalo quando ouviram um estrondo.  "Primeiro, a gente achou que fosse bomba, mas quando uma moça caiu no chão sangrando, todo o mundo começou a correr", disse em entrevista à Record TV.

Leia também: Equipes de resgate buscam feridos após massacre em escola de Suzano

Ele relatou, ainda, que os suspeitos eram supostamente ex-alunos que tinham problemas com a escola. "Pela foto dá para reconhecer o machado que um dos atiradores carregava." Segundo ele, o atirador "era ligado a ideias radicais e violentas".