São Paulo PF cogita qualificar ataque a Araçatuba (SP) como terrorismo

PF cogita qualificar ataque a Araçatuba (SP) como terrorismo

Corporação ainda aguarda mais elementos para confirmar a qualificação, aventada por causa da quantidade de explosivos

  • São Paulo | Do R7, com informações da Agência Estado

A Polícia Federal não descarta qualificar o mega-assalto ocorrido na madrugada de segunda-feira (30) em Araçatuba (SP) como terrorismo, devido à quantidade de explosivos usadas no ataque. Apesar de admitir, em nota, a possibilidade, a corporação aguarda ainda mais elementos para essa qualificação.

Foram apreendidos 100 kg de explosivos após o ataque

Foram apreendidos 100 kg de explosivos após o ataque

Reprodução

A polícia resgatou, até a tarde desta terça-feira (31) 100 kg de explosivos deixados pelos criminosos depois do mega-assalto da madrugada de segunda-feira (30) em Araçatuba, no interior de São Paulo. De acordo com a Secretaria da Segurança Pública do Estado, foram achados 93 artefatos e 70 bastões de emulsão para produção de bombas.

As bombas teriam como efeito retardar e dificultar a ação da polícia, mas colocaram em risco toda a população. Três pessoas morreram e cinco ficaram feridas. 

Do total, 29 artefatos estavam em um caminhão usado no ataque contra o Banco do Brasil e que foi deixado em frente à agência. Desse veículo, foram retirados ainda os 70 cartuchos de emulsão.

No interior da agência, foram recolhidas mais 13 bombas que não explodiram durante o roubo. Outros 32 artefatos estavam espalhadas pela Praça Rui Barbosa e ruas do entorno. Também foram recuperados 19 explosivos em veículos usados pela quadrilha.

Até o início da tarde, peritos do Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate), o esquadrão antibombas da polícia militar paulista, realizavam uma varredura na região central em busca de mais explosivos.

Com sensores, detectores de metal e outros equipamentos, os agentes verificaram lixeiras, bueiros e canteiros de jardins. Os artefatos resgatados foram levados para o aterro sanitário da cidade para o desarme e detonação.

Últimas