São Paulo PM acusado de matar Leandro Lo foi a boate e motel após o crime. Veja vídeo

PM acusado de matar Leandro Lo foi a boate e motel após o crime. Veja vídeo

Câmera do Bahamas Hotel Club registrou chegada e saída de Henrique Velozo, que depois foi a motel na zona oeste de São Paulo

  • São Paulo | Letícia Dauer, da Agência Record

Lutador foi visto em casa noturna por volta das 3h

Lutador foi visto em casa noturna por volta das 3h

Reprodução

Vídeos divulgados pela Polícia Civil registraram o policial militar Henrique Velozo, acusado de ter matado o lutador de jiu-jítsu Leandro Lo, em outra casa noturna após ter atirado na vítima, no último domingo (7).

O crime aconteceu durante um show de pagode no interior do Esporte Clube Sírio, na avenida Indianópolis, no bairro Planalto Paulista, zona sul de São Paulo, por volta das 2h.

Em um dos vídeos, o relógio marca 3h04 quando Henrique aparece — de boné preto — nas imagens cumprimentando a recepcionista do Bahamas Hotel Club, localizado na rua dos Chanes, número 571, a cerca de 2 quilômetros do Sírio.

Depois de 36 minutos, o tenente aparece novamente na recepção — dessa vez acompanhado de uma mulher — para fechar a conta. O valor foi de R$ 1.589,40, que foram gastos em uma garrafa de uísque, duas de gim, dois energéticos e duas águas de coco.

O policial ainda teria seguido até o Motel Asturias, em Pinheiros, na zona oeste de São Paulo, onde ficou aproximadamente 12 horas. A Polícia Civil compartilhou o registro de hóspedes do estabelecimento.

De acordo com a assessoria de imprensa da Polícia Civil, todas as imagens divulgadas à imprensa foram retiradas do inquérito policial.

À reportagem, o advogado João Carlos Campanini afirmou que deixou a defesa do tenente, que foi assumida por Claudio Dalledone Junior. Até o momento, ele não atendeu as nossas ligações.

Últimas