São Paulo PM enforca torcedor antes de jogo do Corinthians, e jovem desmaia

PM enforca torcedor antes de jogo do Corinthians, e jovem desmaia

Igor Fiorentino, 23, foi abordado de forma violenta por policial após começar a gravar ação truculenta do agente contra um amigo do jovem que não havia conseguido entrar

  • São Paulo | André Carvalho, da Agência Record

Cenas deixaram outros torcedores revoltados. Igor foi agarrado pelo pescoço e imobilizado pelo policial a ponto de perder os sentidos

Cenas deixaram outros torcedores revoltados. Igor foi agarrado pelo pescoço e imobilizado pelo policial a ponto de perder os sentidos

Reprodução

O que era para ser uma noite de alegria e comemoração terminou em agressão e pesadelo para o torcedor do Corinthians Igor Leite Matias Fiorentino, de 23 anos. Ele foi agredido por um policial militar na entrada do jogo entre Corinthians e Mirassol, na Arena Neoquímica, zona leste de São Paulo, na noite desta quinta-feira (10).

Igor estava acompanhado da namorada e de um grupo de cinco amigos para assistir à partida, que terminou com a vitória corintiana. Na entrada do estádio, um dos amigos percebeu que o seu cartão de entrada na arena estava danificado. Por causa disso, o rapaz foi impedido de entrar.

Inconformados com a situação, Igor e os outros amigos, que já estavam dentro do estádio, voltaram para conversar com os policiais e, segundo Igor, foram tratados de maneira truculenta pelos PMs. Igor decidiu então gravar a postura dos policiais em relação ao seu amigo que estava fora do estádio, quando um dos agentes de segurança o abordou de forma violenta para impedir que ele continuasse gravando.

As cenas deixaram outros torcedores revoltados. Igor foi agarrado pelo pescoço e imobilizado pelo policial a ponto de perder os sentidos. Depois de desmaiar, o jovem ainda foi arrastado para um canto e teve o braço torcido pelo PM. Quando Igor recuperou a consciência, o policial novamente o pegou pelo pescoço.

"Foi horrível o que passamos", disse o torcedor. Ele também contou que após o episódio foram ameaçados. "Eu e minha namorada fomos levados para o subsolo da arena, onde recebemos várias ameaças durante 45 minutos", completou.

Os torcedores foram liberados para acompanhar o segundo tempo da partida, mas, sem clima, resolveram ir embora e registrar queixa na polícia. Igor chegou a ir a duas delegacias. No 103º Distrito Policial, de Cohab II de Itaquera, não havia delegado de plantão e no 63º Distrito Policial, de Vila Jacuí, a delegacia tinha muitos flagrantes para registrar.

A queixa, às 11h30 desta sexta-feira (11), foi registrada pelo próprio Igor no 66º Distrito Policial, no Vale do Aricanduva.

O episódio ganhou repercussão na mídia, e o ouvidor das polícias, Elizeu Soares Lopes, pediu à Corregedoria da Polícia Militar o imediato afastamento dos policiais envolvidos nas cenas de agressão e a abertura de um inquérito para a apuração dos fatos.

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública informou que a Polícia Militar analisa as imagens e apura todas as circunstâncias relativas ao fato. 

Em nota, o Sport Club Corinthians Paulista informou que tomou conhecimento das imagens e reiterou que "não apoia nenhum tipo de violência e que está em contato com as autoridades para compreensão dos fatos. O Corinthians reforça também seu compromisso com a melhor experiência possível dentro do estádio".

O clube ressaltou também que busca contato com o torcedor e os acompanhantes para entender o ocorrido e evitar situações semelhantes no futuro.

Últimas