São Paulo Polícia busca suspeito de matar PM Juliane na favela de Paraisópolis

Polícia busca suspeito de matar PM Juliane na favela de Paraisópolis

Policial militar foi assassinada na comunidade, em agosto de 2018. Suspeito de participar do crime teria voltado à favela

  • São Paulo | Rafael Custódio, da Agência Record

Reprodução

Policiais civis do Dope (Departamento de Operações Policiais Estratégicas) fazem buscas, nesta sexta-feira (9), por um dos suspeitos de executar a policial militar Juliane dos Santos Duarte, na comunidade do Paraisópolis, na zona sul de São Paulo. O crime ocorreu em agosto de 2018, na mesma comunidade.

A Polícia Civil obteve informações de que Ricardo Vieira Diniz, conhecido como "Boy", voltou a frequentar a comunidade, mesmo sendo um dos principais procurados pelo Departamento de Capturas do Dope.

Segundo a delegada Ivalda Aleixo, do Dope, o suspeito transita pela comunidade e se hospeda em locais temporários, como casa de familiares e namoradas, para escapar das investigações. 

Outros três mandados de prisão foram expedidos e são cumpridos, na mesma comunidade. Até às 18h50, a Polícia Civil havia prendido um dos suspeitos.

Na favela, a Polícia conseguiu prender um homem com uma pistola Glock, munições e carregadores. No entanto, ainda não é possível dizer se ele tem relação com a morte da policial militar.

Entre os procurados, há um homem que comanda um dos pontos de tráfico no Paraisópolis e mantém casas de aluguel.

Últimas