São Paulo Polícia liberta casal que seria executado na zona sul de SP

Polícia liberta casal que seria executado na zona sul de SP

Vítimas seriam mortas depois de serem acusadas de cometer pequenos furtos e roubos no Parque Cocaia. Um homem que vigiava o local foi preso

  • São Paulo | Do R7

Casal era formado por dependentes químicos que estariam participando de furtos

Casal era formado por dependentes químicos que estariam participando de furtos

Divulgação

Um casal que seria executado a tiros foi liberado pela polícia no Parque Cocaia, periferia da zona sul de São Paulo, na tarde de terça-feira (18).  As vítimas seriam mortas depois de serem julgadas de forma clandestina, em um esquema conhecido como"tribunal do crime", sob acusação de cometer pequenos furtos e roubos na região. Um homem que vigiava os reféns, um padeiro de 52 anos, foi preso em flagrante.

Leia mais: PCC domina licitações da saúde e coleta de lixo de Arujá, diz polícia

Os investigadores do 95º DP (Jardim Mirna) receberam inicialmente a informação de que duas pessoas seriam julgadas e executadas, mas não sabiam o local do cativeiro, nem quem seriam as vítimas.

A partir da denúncia, os policiais foram à região, buscando informações sobre as vítimas e distribuindo panfletos e telefones para localizá-las.

Os policiais receberam ligação telefônica, informando que um julgamento clandestino estaria sendo realizado em um barraco na região.

No local, foram encontrados um rapaz de 26 anos, e uma moça de 23, usuários de drogas, acusados de pequenos roubos na comunidade local. O vigia foi autuado em flagrante por sequestro e cárcere privado.

Últimas