São Paulo Polícia prende grupo suspeito de golpe de falso empréstimo em SP

Polícia prende grupo suspeito de golpe de falso empréstimo em SP

Investigação, que durou três meses, aponta que a maior parte das vítimas eram idosos; 13 pessoas foram presas e 5 são investigadas

  • São Paulo | Mariana Rosetti e Rafael Custódio, da Agência Record

Suspeitos serão transferidos para a carceragem do 2º DP de Santo André

Suspeitos serão transferidos para a carceragem do 2º DP de Santo André

Reprodução/Polícia Civil do Estado de São Paulo - 22.07.2021

A Polícia Civil prendeu parte de um grupo suspeito de estelionato, que aplicava o golpe do falso empréstimo. A ação ocorreu na manhã desta quarta-feira (21), em Santo André, no ABC Paulista.

No total, 11 mulheres e dois homens foram presos, durante o cumprimento dos mandados de prisão, em cinco endereços diferentes. Outras cinco pessoas foram detidas, mas liberadas, para serem investigadas.

A investigação aponta que a maior parte das vítimas era composta por idosos, que buscavam por meios de conseguirem empréstimos consignados.

Para divulgar a empresa de crédito, os suspeitos utilizavam hackers que publicavam anúncios de publicidade nas redes sociais e sites de busca. O maior atrativo era o empréstimo àqueles que têm nomes negativados.

O contato era feito por meio de um aplicativo de mensagens em que a quadrilha negociava os valores, emitia boletos e notas fiscais falsificadas. 

Após o pagamento da parcela, as vítimas desconfiavam da demora para o valor do empréstimo ser liberado e quando procuravam pelo correspondente da empresa, eram bloqueadas.

Para que o chip do telefone celular não fosse localizado, após a aplicação do golpe, ele era quebrado e a empresa de crédito passava a operar com outro número.

Os suspeitos de estelionato usaram diversos nomes fictícios de empresas, para que não levantassem a suspeita dos contratantes. Todo o dinheiro, que era depositado pelas vítimas, caía na conta de laranjas, para despistar as investigações.

De acordo com o SIG (Setor de Investigações Gerais) de Santo André, há registro de vítimas em outros estados brasileiros, uma vez que os criminosos usavam a internet para aplicar os golpes.

Os 13 presos serão levados ao IML (Instituto Médico Legal) de Santo André, onde farão exame de corpo de delito. Em seguida, a quadrilha será transferida para a carceragem do 2º Distrito Policial da cidade.

A investigação

Foram três meses de investigação, após denúncias à Polícia Civil de vítimas do golpe do falso empréstimo.

O CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas) usado pelos estelionatários eram de adegas que serviam de fachada, para a pratica de lavagem de dinheiro.

Três adegas e uma central, que funcionava como um telemarketing ilegal da falsa empresa de crédito, foram fechadas pelos agentes do SIG de Santo André.

Foram apreendidas máquinas de cartão, celulares, computadores e uma quantia em dinheiro. Durante a operação, o gerente da organização criminosa não foi localizado nos endereços investigados.

O caso é investigado pela SIG de Santo André.

Últimas