São Paulo Polícia prende homem que atirou companheira em trilho do Metrô

Polícia prende homem que atirou companheira em trilho do Metrô

Homem perseguiu mulher grávida na estação Sé, no centro de São Paulo, em dezembro de 2020. Yohan Gonzalez tentou se matar

  • São Paulo | Letícia Assis, da Agência Record, com informações da Record TV

No canto esquerdo, é possível ver momento em que homem empurra mulher nos trilhos

No canto esquerdo, é possível ver momento em que homem empurra mulher nos trilhos

Reprodução Record TV

Após uma denúncia anônima, a polícia localizou e prendeu um homem de origem venezuelana suspeito de tentar matar a ex-namorada ao empurrá-la no trilho do metrô da estação Sé, no centro de São Paulo, em dezembro de 2020. 

Yohan Alexander Carzadilla Gonzalez, de 30 anos, era procurado pela Justiça e estava foragido desde o ano passado. Ele foi encontrado em casa após uma denúncia anônima e, mesmo após a prisão, continua negando que cometeu o crime.

O crime ocorreu no dia 4 de dezembro de 2020, na estação de Metrô Sé da linha 3-Vermelha, sentido Palmeiras - Barra Funda, por volta das 19h25. Na época, fazia apenas 10 dias que a jovem havia decidido pôr um fim na relação.

Yohan não aceitava o fim do relacionamento com sua ex-companheira, a também venezuelana Leidy Paulina Pereira Barrios, de 17 anos. No dia do crime, Yohan, que perseguia a ex-namorada, a encontrou na estação de metrô, a agarrou e, em seguida, se jogou de costas na linha férrea na tentativa de mata-lá.

Os dois caíram no vão entre os trilhos e ficaram embaixo da composição. Após a queda, o homem ainda tentou enforcar a vítima, mas testemunhas impediram e funcionários da estação foram acionados.

Leidy, que estava grávida na época, sofreu ferimentos leves e chegou a perder a consciência por alguns instantes. Ela foi socorrida com vida ao pronto socorro da Santa Casa e, enquanto a mulher era atendida, Yohan conseguiu fugir.

Segundo o irmão da vítima, Santander, ele e a mulher chegaram no Brasil em 2016 em busca de uma vida melhor. Foi em Boa Vista, no estado de Roraima, que Leydi conheceu Yohan. Após alguns meses, o homem se mudou para São Paulo e, posteriormente, enviou dinheiro para que os irmão também viessem para a capital paulista. O trio passou a morar em São Mateus, na zona leste de São Paulo.

Com o passar do tempo, Santander conseguiu arranjar um emprego e se mudou para Guarulhos, na região metropolitana. A partir de então, Leydi passou a ser frequentemente agredida, chegando até ser impedida de sair de casa.

Por não aguentar mais a situação que vivia, a mulher ligou para o irmão e pediu para que ele a fosse buscar para morar com ele, rompendo a relação com Yohan. O homem, que não aceitou o fim do relacionamento, passou a perseguir Leidy, fazendo com que ela até perdesse o emprego.

Na data da tentativa de homicídio, Yohan conseguiu encontrar a mulher na estação pois acompanhava sua rotina desde o término do namoro. Na época do crime foi registrado um boletim de ocorrência como tentativa de homicídio, violência doméstica e suicídio tentado, já que ele também pretendia se matar, no 8° Distrito Policial do Brás.

Últimas