São Paulo Polícia prende motorista de app suspeito de usar faca para roubar, sequestrar e estuprar passageiras

Polícia prende motorista de app suspeito de usar faca para roubar, sequestrar e estuprar passageiras

Em nota, empresa disse que condutor foi desligado da plataforma e que enfrenta ativamente a violência contra as mulheres

  • São Paulo | Do R7

Motorista da Uber foi preso por suspeita de estupro

Motorista da Uber foi preso por suspeita de estupro

Reprodução/Record TV

A PM (Polícia Militar) prendeu, na noite da última terça-feira (22), um motorista de aplicativo suspeito de roubar, sequestrar, ameaçar, abusar sexualmente e até estuprar passageiras no distrito de Ermelino Matarazzo, zona leste de São Paulo.

As investigações iniciais mostram que ele usava uma faca para cometer os crimes, que ocorriam enquanto o suspeito trabalhava como motorista da Uber. Em nota, a plataforma disse que o colaborador foi desligado imediatamente da plataforma e que trabalha ativamente para enfrentar a violência contra a mulher — leia abaixo na íntegra.

Um dos crimes ocorreu na região do Tatuapé, também na zona leste, quando uma jovem de 17 anos havia realizado compras e chamou um Uber para ir para casa.

Em determinado momento, o motorista parou o carro, um Chevrolet Prisma preto (placa FPF 9092), e disse à garota que tinha que pegar algo no porta-malas do carro. Nesse momento, ele voltou com uma faca, segundo o relato da vítima.

A menina, então, começou a gritar e tentou sair do carro, mas a trava de segurança para criança estava acionada e as portas não abriam. Em seguida, a jovem conseguiu fugir pela janela do carro.

O criminoso, então, foi embora com cerca de R$ 3.000 em sacolas com presentes de marcas de luxo. Após fugir, a jovem acionou a PM via 190.

Segundo crime

Na corrida seguinte, outra jovem chamou o motorista pelo aplicativo para fazer um procedimento estético, próximo de onde mora.

De acordo com a Polícia Militar, a vítima informou que entrou no carro e ficou acompanhando a rota pelo GPS, mas estranhou o caminho feito pelo motorista. Por isso, decidiu compartilhar sua localização com uma prima.

Então, o homem passou a ameaçar a segunda vítima da noite com a mesma faca. Ela afirmou que não teve tempo de tentar pular do carro, pois ele já havia trancado as portas.

Ele a levou para o Orquídeas Motel, localizado na Eduardo Mendes Franco, na Vila Tereza. Em um dos quartos, o homem a estuprou.

A vítima contou que o homem, não satisfeito, ainda perguntou se havia a possibilidade de ela transferir R$ 1.500 para ele. A garota afirmou que não tinha esse dinheiro, mas que, se ele a deixasse ir, ela daria um jeito, pedindo à sua família.

Suspeitando da ausência da garota, a família conseguiu rastrear seu celular e avisar a PM. Segundo os policiais que atenderam à ocorrência, a vítima é parente de um policial da Força Tática.

Quando estavam indo embora, as viaturas chegaram. À vítima, o criminoso afirmou: "Você quer me ferrar, né?". A jovem negou que ela tivesse acionado a PM e se abaixou no banco para se esconder.

Porém, o carro foi abordado. Ao desembarcar, o homem se apresentou como motorista da Uber. Ao vistoriarem o veículo, os policiais encontraram a vítima em estado de choque. A faca também foi localizada.

O preso foi levado para o 65º Distrito Policial. A vítima do primeiro roubo foi localizada e também seguiu para a delegacia para fazer o reconhecimento do suspeito.

Leia a nota da Uber na íntegra:

"A Uber repudia qualquer tipo de comportamento abusivo contra mulheres e acredita na importância de combater e denunciar casos de assédio e violência. O motorista parceiro teve sua conta desativada da plataforma assim que a empresa tomou conhecimento do episódio. A Uber se coloca à disposição para colaborar com as autoridades no curso das investigações.

A Uber defende que as mulheres têm o direito de ir e vir da maneira que quiserem e têm o direito de fazer isso em um ambiente seguro. Por isso, desde 2018 a empresa mantém o compromisso de participar ativamente do enfrentamento da violência contra a mulher e segue investindo constantemente em conteúdos educativos contra o assédio para motoristas.

Em conjunto com o Instituto Promundo, foi lançado o Podcast de Respeito e mais recentemente a Uber lançou uma campanha educativa de combate ao assédio também em parceria com o MeToo Brasil. Além disso, também em parceria com o MeToo, a plataforma possui um canal de suporte psicológico para apoiar vítimas de violência de gênero.

Segurança é uma prioridade para a Uber e inúmeras ferramentas atuam antes, durante e depois das viagens para torná-las mais tranquilas, como, por exemplo, o compartilhamento de localização, gravação de áudio, detecção de linguagem imprópria no chat, botão de ligar para a polícia, entre outros."

Últimas