São Paulo Polícia prende mulheres suspeitas de dar golpes em sites de namoro

Polícia prende mulheres suspeitas de dar golpes em sites de namoro

Policiais localizaram R$ 33 mil, 45 cartões e cinco celulares. Mulheres disseram que sacavam dinheiro para homem nigeriano

  • São Paulo | Rodrigo Balbino, da Agência Record

Policiais encontram R$ 33 mil, 45 cartões e 5 celulares com mulheres após revista

Policiais encontram R$ 33 mil, 45 cartões e 5 celulares com mulheres após revista

Reprodução Record TV

Duas mulheres foram presas no estacionamento de um mercado em Suzano, na Região Metropolitana de São Paulo, por volta das 20h30 desta terça-feira (10), acusadas de aplicar golpes em sites de relacionamento. 

Uma testemunha estranhou a presença das mulheres realizando inúmeros saques no caixa eletrônico do local e a quantidade de cartões de banco que estavam em suas mãos.

Uma pessoa observou em qual veículo as mulheres estavam e acionou a polícia informando as características do carro. Os agentes foram até o endereço, na rua Campos Sales, número 690, e abordaram as suspeitas no interior do carro.

Segundo a PM, nada de irregular foi encontrado com as mulheres. No entanto, após uma revista no automóvel, os policiais localizaram R$ 33 mil, 45 cartões e 5 celulares.

Questionadas, as mulheres afirmaram que estavam sacando os valores para um homem, de origem nigeriana, em troca de parte da quantia. Segundo as suspeitas, ele se relacionava com mulheres para conseguir dinheiro, no que é conhecido como "golpe do amor".

Por meio de aplicativos de relacionamento, os criminosos conheciam as possíveis vítimas e depois pediam dinheiro por meio de transferências bancárias. Um dos celulares encontrados com as suspeitas possuía registro de roubo de uma loja em Pirassununga, no interior de São Paulo.

As duas mulheres foram detidas e encaminhadas para a Delegacia Central de Suzano, onde o caso foi registrado. Uma delas já possuía passagem pela polícia por envolvimento em crimes de jogos de azar. As duas permaneceram presas e ficarão à disposição da justiça.

Últimas