São Paulo Policial Militar desmaia em carro de motorista de aplicativo após inalar líquido

Policial Militar desmaia em carro de motorista de aplicativo após inalar líquido

Vítima relatou que começou a sentir a visão turva e sensação de sonolência. Após o registro da ocorrência, homem foi liberado

  • São Paulo | Aline Freitas*, da Agência Record

Spray que motorista de aplicativo espirrou no carro e fez soldado desmaiar

Spray que motorista de aplicativo espirrou no carro e fez soldado desmaiar

Reprodução

Um motorista de aplicativo foi conduzido à delegacia após tentar fazer uma soldado da Polícia Militar desmaiar dentro do carro ao espirrar um líquido disfarçado de perfume automotivo, por volta das 14h30 desta sexta-feira (21), no bairro do Ipiranga, zona sul de São Paulo. 

O caso aconteceu no trajeto até a 2ª Companhia do 46º BPM/M (Batalhão de Polícia Militar Metropolitano).

De acordo com informações da Polícia Militar, a soldado Danieli solicitou um carro de aplicativo com destino ao seu local de trabalho e teve a viagem aceita por um motorista de um carro de modelo Ônix.

Durante a corrida, o motorista Mansour Diouf, natural do Senegal, borrifou o conteúdo do spray. Pouco tempo depois, a soldado começou a sentir sua visão turva, além de sensação de desmaio e sonolência.

Ainda de acordo com o boletim de ocorrência da Polícia Militar, registrado pelas equipes do Batalhão, ela relatou que o homem passou a observá-la como se esperasse ela desmaiar.

Quando a corrida chegou no seu destino, a vítima comunicou seus superiores do ocorrido e foi orientada a registrar tanto um BOPM como um B.O. em uma delegacia de polícia.

Ao saber do ocorrido, equipes do 8º BPM/M patrulharam a área em busca do veículo. Ele foi encontrado na avenida Condessa Elizabeth de Rubiano, pista local da Marginal Tietê, no Catumbi, zona norte da capital

A mulher realizou exame toxicológico no IML (Instituto Médico Legal) e foi solicitada uma perícia na substância.

Durante a abordagem, as equipes encontraram o borrifador e o homem foi conduzido à área do 46º BPM/M e, posteriormente, ao 26º Distrito Policial, do Sacomã. A ocorrência foi redirecionada ao 10º Distrito Policial, da Penha, onde o boletim de ocorrência foi registrado. Após o registro da ocorrência, o homem foi liberado e pôde retirar seu carro.

Em nota, a Uber afirmou que até onde tem conhecimento, todas as denúncias sobre o chamado  "golpe do cheiro" relativas a viagens no aplicativo que já tiveram a investigação concluída pela Polícia Civil, foram arquivadas. A empresa também informa que avalia cada caso individualmente para tomar as medidas cabíveis.

*Sob supervisão de Celso Fonseca

Últimas