São Paulo Porteiro é assaltado e assassinado em ponto de ônibus de SP

Porteiro é assaltado e assassinado em ponto de ônibus de SP

Vítima estava a caminho do trabalho quando foi abordada por dois suspeitos. Ele entregou o celular e mesmo assim foi morto

  • São Paulo | Rodrigo Martinez*, da Agência Record

Um porteiro foi assassinado em um ponto de ônibus, na rua Vicente Strichalsky, Pedreira, zona Sul de São Paulo, por volta de 17h20 deste domingo (19).

Ricardo Barros Arouche, de 38 anos, estava a caminho do trabalho, quando foi abordado por dois suspeitos que anunciaram o assalto pedindo seu aparelho de celular. Mesmo entregando o telefone, os criminosos atiraram e em seguida fugiram do local.

Quando a Policia Militar chegou ao local, encontrou Ricardo caído no chão com um tiro no peito. Uma equipe do Samu foi acionada e ao chegar tentou reanimá-lo, mas ele não resistiu aos ferimentos causado pela bala e morreu ainda no local.

De acordo com testemunhas, a vítima estava no ponto de ônibus, quando dois homens chegaram em uma moto e anunciaram o assalto. Após roubarem o celular de Ricardo, um dos homens atirou na região de seu tórax e em seguida a dupla fugiu.

A Polícia Militar conseguiu imagens de uma câmera de segurança que mostram a ação criminosa.

Os suspeitos estavam em uma moto Honda 150, de cor preta. O condutor está com blusa de frio cinza e capacete de cor clara. Já o garupa, está de camisa azul e capacete preto.

Uma delegada foi ao endereço do crime, onde encontrou o corpo caído na calçada em frente ao ponto de ônibus. Segundo o registro no Boletim de Ocorrência, nenhum projétil foi encontrado no local.

Imagens de segurança gravaram o momento em que o porteiro ia para o ponto de ônibus

Imagens de segurança gravaram o momento em que o porteiro ia para o ponto de ônibus

Reprodução/Record TV - 20.09.2021

A delegada também conversou com uma testemunha que presenciou o latrocínio. Ela viu os dois homens chegando com a moto e em seguida Ricardo entregando o aparelho de celular. Ela disse que na sequência, ele colocou a mão no bolso, como se fosse retirar a carteira, quando neste momento a testemunha ouviu o disparo.

Havia uma câmera em um comércio na região onde aconteceu o crime, porém a polícia não conseguiu acesso às imagens porque o estabelecimento estava fechado.

A esposa da vítima compareceu a delegacia para prestar depoimento. Ela relatou que o casal estava junto há 15 anos e que tem duas filhas.

Ela disse que por volta de 16h55, Ricardo saiu de casa a caminho do ponto de ônibus para ir ao trabalho. Alguns minutos depois, a esposa da vítima ouviu o disparo, mas acreditou ser barulho do escapamento de uma motocicleta.

Posteriormente, ela foi avisada por vizinhos que Ricardo havia sido baleado. Quando chegou ao local, encontrou seu marido caído no chão já ferido.

A esposa da vítima também esclareceu que Ricardo não usava arma de fogo e não possuía inimigos. Ela relatou ainda que o marido só saía de casa para o trabalho e que a vida do casal era tranquila.

não acredita que Ricardo reagiu ao assalto, porque sempre ensinou suas filhas a não reagirem a esse tipo de ação criminosa.

O caso foi registrado no 98° Distrito Policial do Jardim Miriam.

*Estagiário sob supervisão de Edilson Muniz

Últimas