São Paulo Prefeitura de São Paulo revoga situação de emergência pela Covid

Prefeitura de São Paulo revoga situação de emergência pela Covid

Documento de 2020 adotava medidas emergenciais de prevenção a doença, como suspensão de rodízio e limpeza de ônibus

  • São Paulo | Do R7, com informações de Augusta Ramos, da Agência Record

Vacina Covid-19

Vacina Covid-19

Rovena Rosa/Agência Brasil

O prefeito da cidade de São Paulo, Ricardo Nunes, revogou o decreto que mantinha a capital paulista em situação de emergência por causa da Covid-19. O documento anterior, assinado pelo então prefeito Bruno Covas, começou a valer no dia 16 de março de 2020.

Entre as medidas adotadas em 2020 estavam: suspensão do rodízio de veículos por tempo indeterminado, higienização de todos os ônibus municipais com água sanitária no final da linha, suspensão de todos os cursos, oficinas e eventos similares, promovidos pelo Município de São Paulo e entre outras atividades, que podem ser conferidas no Diário Oficial.

O novo decreto de Nunes foi publicado no Diário Oficial do Município na segunda-feira (15). "Revoga o Decreto nº 59.283, de 16 de março de 2020, que declarou situação de emergência no Município de São Paulo e definiu outras medidas para o enfrentamento da pandemia decorrente do coronavírus", diz o texto da prefeitura

Apesar da decisão, a vacinação em São Paulo contra a Covid-19 continua com o imunizante bivalente da Pfizer. No dia 3 de maio, a cidade anunciou a liberação da aplicação do imunizante para todos os adultos acima de 18 anos e para os maiores de 12 anos que fazem parte de algum grupo de risco.

Últimas