São Paulo Professor é libertado de sequestro após cair em golpe do falso encontro por app

Professor é libertado de sequestro após cair em golpe do falso encontro por app

Vítima passou suas senhas bancárias e os criminosos realizaram as transferências. Ainda não se sabe o valor perdido pelo homem

  • São Paulo | Isabelle Gandolphi, da Agência Record

Caso foi registrado no 33° Distrito Policial, da Vila Mangalot

Caso foi registrado no 33° Distrito Policial, da Vila Mangalot

Reprodução/Google Street View

Um professor foi libertado de um sequestro após cair no golpe do falso encontro por aplicativo na região do Jaraguá, zona norte de São Paulo, na madrugada desta sexta-feira (19). Um suspeito foi preso e outros três fugiram.

Segundo a Polícia Militar, as equipes foram acionadas por moradores de uma comunidade, que comunicaram sobre uma vítima de sequestro na região.

Os agentes se deslocaram ao local, e, durante a incursão, ouviram o estampido de disparo de arma de fogo. Seguindo o som, flagraram um suspeito correndo entre as vielas.

Durante a fuga, o homem dispensou uma arma, que possuía três munições intactas e uma deflagrada. As equipes conseguirem abordá-lo e ele confessou que estava participando do sequestro.

Ele indicou o local onde a vítima estava. Se tratava de um barraco inabitado e em más condições. No imóvel, encontraram o professor, que estava com mãos e pernas amarradas e uma blusa cobrindo a cabeça.

A vítima relatou que havia combinado um encontro por um site de relacionamento no Jardim Panamericano. No local do encontro, o homem foi abordado por dois suspeitos armados. Em seu próprio carro, foi levado ao barraco.

Na comunidade, foi deixado aos cuidados de outra dupla. Os primeiros dois criminosos fugiram levando seu carro.

No barraco, a vítima passou suas senhas bancárias e os criminosos realizaram as transferências. O professor afirmou também que o motivo do disparo foi porque ele esqueceu o código do aplicativo para transação via Pix.

Ainda não há informação do prejuízo sofrido pelo professor.

O local foi periciado e a vítima, que permaneceu três horas sob o poder dos criminosos, liberada sem ferimentos. O detido afirmou que pertence a uma facção criminosa que age dentro e fora dos presídios de São Paulo.

Ambos foram encaminhados ao 33° Distrito Policial da Vila Mangalot, onde o caso está sendo registrado.

Últimas