São Paulo Professores esfaqueados por aluno tentaram impedir que ele matasse colega

Professores esfaqueados por aluno tentaram impedir que ele matasse colega

Um dos profissionais de ensino precisou ser socorrido com urgência, pois teve parada cardiorrespiratória

  • São Paulo | Do R7, com Record TV

Resumindo a Notícia
  • Testemunhas dizem que os dois adolescentes envolvidos têm histórico de brigas.

  • Uma professora, 'já de idade', que entrou na briga teve parada cardiorrespiratória.

  • Ela chegou a ficar em estado grave, mas, segundo o boletim médico, não corre risco de morte.

  • Autor do ataque foi detido, mas os estudantes ficaram traumatizados com a situação.

Os professores que ficaram feridos após terem sido esfaqueados por um aluno estavam tentando impedir que o adolescente matasse um colega. O caso ocorreu na manhã desta segunda-feira (27), na Escola Estadual Thomazia Montoro, localizada na rua Doutor Adolfo Melo Júnior, na Vila Sônia, zona oeste de São Paulo.

Alunos entrevistados pela Record TV revelaram que os dois adolescentes envolvidos já teriam brigado na semana passada. Hoje, um deles levou uma faca e atacou o colega.

"A professora foi defender o menino, e ele começou a esfaquear o braço dela. Aí ela ficou gritando pedindo socorro, falando para cuidar dos alunos", revelou, aos prantos, uma adolescente entrevistada pela reportagem. Essa professora foi levada em estado grave a um hospital, pois teve parada cardiorrespiratória.

Outra funcionária da escola, então, teria saído correndo para avisar em todas as salas o ocorrido e pedir que fechassem as portas.

Familiares foram em frente à escola, desesperados

Familiares foram em frente à escola, desesperados

Reprodução

O menino atacado teve ferimentos leves, porque dois professores tentaram impedir a briga. No entanto, a professora esfaqueada, que, segundo testemunhas, "é uma senhora de idade", ficou gravemente ferida.

De acordo com o boletim médico, os profissionais da saúde conseguiram reverter o quadro, e a docente não corre mais risco de morte.

Ataque teria sido motivado por bullying

A polícia trabalha com a hipótese de que o ataque teria sido motivado por bullying; isso porque o adolescente fez postagens em que revelava o que sofria na escola e que "iria se vingar".

Outros estudantes confirmam as brigas constantes entre o agressor e a vítima dentro da sala de aula.

Últimas