São Paulo Protesto contra morte de jovem por PM incendeia ônibus em São Paulo

Protesto contra morte de jovem por PM incendeia ônibus em São Paulo

Família alega que Rodney Batista saía para trabalhar quando foi abordado por PMs. Para polícia, ele é suspeito de roubo

  • São Paulo | Do R7, com informações da Record TV

Ônibus queimado durante protesto contra morte de jovem pela PM em Guaianases

Ônibus queimado durante protesto contra morte de jovem pela PM em Guaianases

Reprodução/Record TV

Moradores protestam desde a manhã desta segunda-feira (25) contra a morte do jovem Rodney Batista, de 27 anos, por policiais militares na frente de um conjunto habitacional na avenida Nordestina, em Guaianases, na zona leste de São Paulo. Um ônibus foi queimado durante a ação. 

Rodney Batista, morto pela PM em Guaianases, zona leste de SP

Rodney Batista, morto pela PM em Guaianases, zona leste de SP

Reprodução/Record TV

De acordo com a família, policiais chegaram com uma foto procurando pelo rapaz. Ao se deparar com polícia, Rodney tentou fugir, mas levou um tiro na perna.

Mesmo ferido, ele conseguiu pular um muro e se esconder em um apartamento vizinho, onde, segundo a família, foi executado com mais seis tiros. Os parentes alegam que o rapaz estava desarmado, saindo de casa para trabalhar, quando foi baleado.

Parentes do jovem contaram também que os polícias responsáveis tentaram retirar a gravação das imagens do circuito de segurança do local. Moradores disseram que os agentes levaram CPU com as imagens registradas pelas câmeras do prédio no momento da ocorrência.

Rodney era casado, tinha uma filha de 3 anos e um enteado de 6, trabalhava como jardineiro há pouco tempo e morava no conjunto habitacional com a mãe, segundo disse o irmão ao Cidade Alerta, da Record TV.

Em nota, a Polícia Militar diz que Rodney atirou contra os policiais e que um IPM (Inquérito Policial Militar) foi instaurado para apurar o caso. Na versão da PM, os agentes foram acionados nesta manhã para uma ocorrência de roubo a um posto de combustível na avenida Nordestina.

"Após buscas, dois suspeitos foram presos e um terceiro morreu ao atirar contra os agentes, que intervieram", diz o texto. "O homem foi socorrido ao PS Julio Tupy, onde morreu. As armas dos PMs e do autor foram encaminhadas à perícia. Um celular e o dinheiro levado do posto foram recuperados com o suspeito que morreu. A vítima fez o reconhecimento fotográfico e o indicou como sendo o homem que fez a abordagem e roubou seus pertences. Foi solicitado assessoramento ao DHPP. A Polícia Militar também instaurou IPM."

Últimas