São Paulo Radialista acusado de abusar de meninas de 12 e 9 anos no Ceará é preso em São Paulo

Radialista acusado de abusar de meninas de 12 e 9 anos no Ceará é preso em São Paulo

Caso ocorreu em 2015 e homem só foi detido na manhã desta terça-feira (26). Se condenado, ele deve ficar 35 anos preso

  • São Paulo | Laura Lourenço, da Agência Record

Homem era companheiro da tia paterna das vítimas, e os abusos teriam ocorrido na casa dele

Homem era companheiro da tia paterna das vítimas, e os abusos teriam ocorrido na casa dele

Reprodução/Record TV - 26.07.2022

A Polícia Civil cumpriu um mandado de prisão contra um radialista, acusado de abusar de duas meninas no estado do Ceará. Ele foi detido no Parque Edu Chaves, na zona norte da capital paulista, nesta terça-feira (26).

Equipes da Dope (Divisão de Capturas do Departamento de Operações Policiais Estratégicas) realizaram o cumprimento do mandado nesta manhã, que foi expedido em 31 de março deste ano pela 3ª Vara Criminal da Comarca de Caucaia (CE), com uma pena de 35 anos de prisão.

Segundo informações apuradas pelo repórter Lucas Carvalho, da Record TV, o suspeito, de 54 anos, é acusado de abusar de duas crianças em 2015. À época, uma tinha 9 anos, e a segunda, 12.

O homem era companheiro da tia paterna das vítimas, e os abusos teriam ocorrido na casa dele, na cidade de Crato, interior do Ceará, quando as irmãs passavam o período de férias na residência.

Segundo documento emitido pelo Ministério Público, a mãe das vítimas soube do ocorrido por parte do irmão delas.

Uma das meninas, que na época tinha 12 anos, contou que sofria os abusos desde os 6, quando o homem aproveitava os momentos em que estavam sozinhos para passar a mão nas partes íntimas dela. Em setembro de 2015, ele obrigou a vítima a ter relações sexuais.

Quando ela soube que o fato também havia ocorrido com a irmã, disse à mãe que não gostava do marido da tia, pois ele também havia abusado dela no mesmo período de férias das irmãs.

O homem foi capturado pelas equipes do Dope e presta depoimento no Palácio da Polícia Civil.

Últimas