São Paulo Roubo em Ribeirão Preto tem 50 suspeitos e teve até fuzil de guerra

Roubo em Ribeirão Preto tem 50 suspeitos e teve até fuzil de guerra

Os criminosos incendiaram quatro carros e um caminhão para bloquear vias de acesso e dificultar a ação da polícia na madrugada desta segunda-feira (29)

  • São Paulo | Márcio Neves, do R7

Policiais aprenderam dois fuzis e grande quantidade de munição

Policiais aprenderam dois fuzis e grande quantidade de munição

Divulgação/PM-SP

O assalto a uma empresa de valores na madrugada desta segunda-feira (29) em Ribeirão Preto,no interior de São Paulo, teve mais de 50 suspeitos envolvidos que utilizaram até armas de guerra para o crime. Dois homens foram presos e um foi morto durante a troca de tiros.

Leia mais: Polícia prende quadrilha que explode caixas eletrônicos

Segundo a Polícia Militar, foram apreendidos dois fuzis, um AK-47, de origem russa, e um Colt M4, americano e munições de diversos armamentos, incluindo de uma metralhadora .50.

Também foi apreendido material explosivo encontrado em um dos dez carros, todos blindados, abandonados em uma rodovia vicinal na cidade de Serra Azul (SP).

O roubo assustou moradores do bairro de Palhocinha, que publicaram dezenas de vídeos mostrando carros incendiados, explosões e com som de tiros durante a ação dos assaltantes na região, que  incendiaram quatro carros e um caminhão para bloquear as vias de acesso e dificultar a ação da polícia.

O ataque teve início por volta das 3h. Vestindo roupas escuras e armados com fuzis, os homens incendiaram os veículos e se dividiram em grupos. A Polícia Militar se mobilizou rapidamente para fazer um cerco à região. O tiroteio durou cerca de duas horas.

O grupo teria ainda rendido um funcionário de um posto de combustível ao lado da empresa de transporte de valores para ter acesso ao local e iniciar as detonações que abriram um buraco no local.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública, a DIG (Delegacia de Investigações Gerais) de Ribeirão Preto investiga o caso e afirmou que "a equipe trabalha para identificar e prender os outros integrantes da quadrilha".

Grupo explodiu uma das paredes da empresa de valores

Grupo explodiu uma das paredes da empresa de valores

Divulgação/PM-SP

Últimas