São Paulo Rua 25 de Março fica lotada às vésperas do Dia das Crianças em SP

Rua 25 de Março fica lotada às vésperas do Dia das Crianças em SP

Expectativa é que a data represente um crescimento de 3% nas vendas em comparação com o ano passado, apesar da pandemia de covid-19

Agência Estado
Pedestres lotam a 25 de Março, na região central de São Paulo, neste sábado (10)

Pedestres lotam a 25 de Março, na região central de São Paulo, neste sábado (10)

FÁBIO VIEIRA/FOTORUA/ESTADÃO CONTEÚDO - 10.10.2020

Neste sábado (10), a Rua 25 de Março, no centro da capital paulista, ficou lotada de consumidores em busca de presentes para o Dia das Crianças. E mesmo com a pandemia, as vendas devem aumentar. De acordo com a Associação Brasileira dos Fabricantes de Brinquedos, a data deve registrar aumento de 3% nas vendas em comparação com o ano passado. Muito disso se deve à alta do dólar. Ou seja, com brinquedos importados mais caros, o que cabe no bolso da maioria do consumidor brasileiro é, justamente, o produto nacional.

E também muita gente deixou a preocupação de lado com a pandemia na hora das compras. Diversos consumidores não cumpriram as medidas básicas de distanciamento social tampouco o uso de máscara.

Na sexta-feira, o governo estadual anunciou o avanço da Grande São Paulo — e outras cinco regiões — para a fase verde do Plano São Paulo, que regulamenta a quarentena em todo o Estado por meio de cores.

A medida, que deve ir até 16 de novembro, quando haverá nova avaliação, permite que o período de funcionamento dos estabelecimentos seja estendido para até 12 horas — eram 8 horas na fase anterior, amarela. A partir de hoje, shoppings voltam a fechar as portas às 22h. O relaxamento também vale para comércio de rua e academias de ginástica.

A flexibilização de reabertura da economia, permite, ainda, acontecimentos como eventos e convenções. Mas nada de shows lotados. E a ocupação deve ficar abaixo dos 60% da capacidade (antes, 40%). Cinemas, teatros e museus poderão voltar a funcionar.

Últimas