São Paulo São Bernardo (SP) flexibiliza regras e amplia horário do comércio

São Bernardo (SP) flexibiliza regras e amplia horário do comércio

Com avanço da vacinação contra covid-19, cidade autoriza retomada do ensino superior e anuncia suspensão do toque de recolher

  • São Paulo | Nayara Paiva*, da Agência Record

São Bernardo (SP) amplia horário dos comércios
, suspende toque de recolher e retoma aulas

São Bernardo (SP) amplia horário dos comércios , suspende toque de recolher e retoma aulas

Gabriel Inamine/PMSBC

A prefeitura de São Bernardo do Campo (SP), publicou um novo decreto, nesta quinta-feira (8), que suspende o toque de recolher das 22h às 4h e amplia o horário de funcionamento das atividades econômicas e sociais das 6h às 22h, com tolerância até às 23h, a partir desta sexta-feira (9).

A medida acompanha o Plano São Paulo, do governo do estado, e ocorre após queda significativa na ocupação dos leitos de UTI na cidade, por conta do avanço da campanha de imunização contra a covid-19.

Além das atividades econômicas, também estarão autorizados a funcionar até as 22h, com tolerância até as 23h, as igrejas e templos religiosos, cinemas, museus, parques e praças públicos e privados, academias de esportes, dança e ballet, atividades esportivas individuais e coletivas, os centros esportivos e os clubes sociais e esportivos, inclusive saunas e vestiários.

Os serviços de delivery e os postos de combustíveis poderão funcionar por 24h, enquanto as atividades de drive thru e take away ficam limitadas a funcionar até, no máximo, as 23h.

Volta às aulas

A partir do dia 2 de agosto também fica autorizado o retorno das aulas presenciais nas instituições de nível superior e escolas técnicas, das 6h às 23h. A ocupação máxima permitida é de 60%.

Na rede municipal, as aulas presenciais estão autorizadas desde o dia 17 de maio, em modelo híbrido, ou seja, mesclando aulas presenciais e remotas, e com 35% da capacidade. Até a retomada completa das aulas presenciais, cada um dos 82 mil estudantes continuará recebendo o cartão merenda, benefício mensal no valor de R$ 85 para a compra exclusiva de alimentos.

Na rede privada, as aulas presenciais estão autorizadas desde 14 de abril.

*Sob supervisão de Letícia Dauer

Últimas