São Paulo Sem-teto pedem fim de despejos em protesto na zona sul de São Paulo

Sem-teto pedem fim de despejos em protesto na zona sul de São Paulo

Grupo se reuniu na avenida Giovani Gronchi e marchou até o Palácio dos Bandeirantes para exigir suspensão de reintegrações de posse na pandemia 

Integrantes do MTST protestam contra remoções

Integrantes do MTST protestam contra remoções

RONALDO SILVA/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO - 30.07.2020

Integrantes do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto saíram em marcha para exigir o fim dos despejos na tarde desta quinta-feira. O protesto se concentrou na Avenida Giovanni Gronchi, na altura da Praça Roberto Gomes Pedrosa, no Morumbi, zona sul de São Paulo.

Leia também: SP: Remoção de ocupações aumenta vulnerabilidade durante a pandemia

De acordo com o coordenador do MTST, Guilherme Boulos, o grupo pede pela suspensão das reintegrações de posse durante o período da pandemia da covid-19. O grupo caminhou de forma pacífica até o Palácio dos Bandeirantes, sob acompanhamento do Helicóptero Águia 18 do Grupamento Aéreo da Polícia Militar.

A Defensoria Pública de São Paulo chegou a enviar uma solicitação ao Conselho Superior da Magistratura do Tribunal de Justiça de São Paulo para suspender o cumprimento de ordens de remoção durante a pandemia de covid-19. O pedido não foi aceito e a argumentação dos defensores se tornou uma nota técnica, que pode ser usada para embasar as decisões dos magistrados, que continuam avaliando as situações caso a caso.

O número de remoções na região metropolitana de São Paulo dobrou entre abril e junho de 2020 na comparação com o trimestre anterior. Foram, ao todo, seis remoções, que impactaram ao menos 1300 famílias, de acordo com o Observatório das Remoções, mapeamento colaborativo realizado pelo Labcidade da FAU/USP (Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo). 

Últimas