Sobrevivente em Barueri diz que recebeu bebida na Cracolândia 

Ele foi um dos que ingeriram o líquido de uma garrafa que provocou a morte de quatro moradores de rua em Barueri e deixou outros 3 feridos

Moradores de rua foram encontrados mortos em Barueri, na Grande São Paulo

Moradores de rua foram encontrados mortos em Barueri, na Grande São Paulo

Divulgação/Polícia Militar

Um dos sobreviventes que ingeriram o líquido de uma garrafa que provocou a morte de quatro moradores de rua em Barueri, na manhã deste sábado (16), disse que recebeu a garrafa de um estranho na Cracolândia, na região central de São Paulo.

Vinícius Salles Cardoso, de 31 anos, está internado no Hospital Municipal de Barueri. Ele outros três homens sobreviveram depois de ingerirem o líquido e passarem mal. Outros 4 moradores de rua, que também beberam o líquido morreram.

Leia também: Médico e equipe transformam morador de rua em Peruíbe, em SP

De acordo com a Secretaria de Segurança de Barueri, Regina Mesquita, o sobrevivente Vinícius disse que passou a última sexta-feira (15) na Cracolândia, na zona central de São Paulo, onde ingeriu diversos tipos de drogas.

Sem dinheiro para retornar a Barueri, ele pediu dinheiro para pessoas que passavam pela rua. Um desconhecido que foi abordado disse que não tinha dinheiro, mas ofereceu ao morador de rua uma garrafa de Corote, uma vodka tridestilada. 

Vinícius guardou a bebida e voltou à Barueri, onde passou a noite em um abrigo público disponibilizado pela prefeitura. Na manhã deste sábado (16), junto de outros colegas, foram para uma praça na rua Duque de Caxias, no Centro de Barueri, e começaram a consumir a bebida. Logo depois tiveram convulsões, taquicardia e dilatamento das veias.

A Secretária de Segurança Pública de Barueri informou que as três garrafas encontradas com os oito moradores de rua já foram encaminhadas para o Instituto de Criminalística (IC), onde o líquido será analisado as propriedades identificadas.

Segundo a secretária Regina Mesquita, as câmeras de segurança da região não mostram nenhum carro parado ou grupo se aproximando dos moradores de rua, mas a polícia não descarta a possibilidade de os moradores de rua terem recebido a bebida de alguém no próprio município de Barueri.

O delegado Anderson Gianpaoli, titular da delegacia Central de Barueri, disse na tarde deste sábado (16), que somente os exames necroscópicos, toxicológicos e a análise da bebida vão atestar com exatidão se havia veneno ou alguma substância tóxica no líquido ingerido pelos moradores de rua.

Segundo o delegado, os quatro sobreviventes que estão hospitalizados, e tão logo tenham condições, serão ouvidos pela polícia, que também está à procura de imagens de câmeras de segurança e testemunhas que possam ajudar a esclarecer o caso.

Os investigadores também apreenderam o celular de um dos sobrevivente, Vinícius Salles Cardoso, de 31 anos, na esperança de encontrar alguma imagem ou informação relacionada às bebidas.

Os corpos das quatro vítimas mortas foram encaminhados ao Instituto Médico Legal (IML) de Osasco, onde passarão por autópsia.

Os mortos são são Denis da Silva (idade não identificada), Luiz Pereira da Silva (49 anos), Marlon Alves Gonçalves (39 anos), Edson Sampaio da Silva (40 anos). Os sobreviventes foram encaminhados ao Hospital Municipal de Barueri são: Renilton Ribeiro Freitas (43 anos), Silvia Helena Euripes (54 anos), Vinicius Salles Cardoso (31 anos). No Pronto-Socorro Central (SAMEB), foi encaminhado Sidnei Ferreira de Araújo Leme, de 38 anos.

O caso foi registrado como morte suspeita na Delegacia de Barueri e será investigado pela equipe policial. Uma garrafa com líquido suspeito foi apreendida e encaminhada para perícia no IC. Os corpos passarão por exames no IML.