São Paulo SP dá início a obras para construção do BRT entre o ABC e a capital

SP dá início a obras para construção do BRT entre o ABC e a capital

Serão investidos R$ 860 milhões pela iniciativa privada. Sistema rápido de ônibus elétricos terá 20 estações em quase 18 km

  • São Paulo | Do R7

São Paulo dá início a obras para construção do BRT entre o ABC e a capital

São Paulo dá início a obras para construção do BRT entre o ABC e a capital

Divulgação / Governo de SP

O Governo de São Paulo deu início, nesta quinta-feira (24), às obras do BRT-ABC, sistema rápido de ônibus elétricos que vai conectar a região do Grande ABC à capital. O novo modal de transporte metropolitano terá investimento de R$ 860 milhões, exclusivamente pela iniciativa privada, e prevê a implantação de 20 estações.

A obra pretende beneficiar 173 mil passageiros por dia, que vão percorrer o trajeto entre São Bernardo do Campo e São Paulo em até 40 minutos na modalidade expressa.

"São 18 quilômetros percorridos por um corredor com estações modernas e climatizadas. Segurança e agilidade para melhorar a qualidade de vida da população, não apenas de São Bernardo mas de todos que precisam do transporte coletivo", afirmou o governador de São Paulo, João Doria (PSDB).

O BRT-ABC vai passar pelos municípios de Santo André e São Caetano do Sul e inclui paradas nos terminais Tamanduateí e Sacomã, na capital.

A previsão é de que o trecho inicial entre em funcionamento ainda neste ano e a operação completa deverá ocorrer em 2023.

As obras serão iniciadas com a readequação do Terminal Metropolitano de São Bernardo do Campo. O BRT será gerenciado pela EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos) e operado pela concessionária Next Mobilidade.

Operação

Com 20 estações de parada e três terminais, o BRT-ABC  prevê uma frota de 82 ônibus elétricos e articulados, com 23 metros, ar-condicionado, silenciosos e não poluentes. 

Além do serviço expresso, o passageiro poderá escolher o semi-expresso, com percurso previsto de 43 minutos, e o parador, de 52 minutos. Segundo o governo, semáforos inteligentes, faixas exclusivas e pontos de ultrapassagem entre os ônibus vão permitir o deslocamento rápido dos usuários.

As estações deverão ser climatizadas e equipadas com internet wi-fi e painéis que mostram a previsão de chegada dos ônibus. A cobrança da tarifa será feita nas estações para evitar filas e diminuir o tempo de parada.

Últimas