São Paulo SP: fotógrafo sofre ataque homofóbico e é espancado ao deixar balada

SP: fotógrafo sofre ataque homofóbico e é espancado ao deixar balada

Luciano Lechinieski foi cercado e agredido ao deixar casa noturna na Barra Funda. Ele sofreu fraturas, e pertences não foram levados

  • São Paulo | Letícia Dauer, da Agência Record

Luciano Lechinieski após a agressão

Luciano Lechinieski após a agressão

Arquivo pessoal

Um fotógrafo foi espancado ao sair de uma casa noturna na Barra Funda, zona oeste de São Paulo, na madrugada de sábado (23). O jovem relata que foi vítima de homofobia.

Em busca de novas oportunidades de emprego, o paranaense Luciano Lechinieski, de 31 anos, mudou-se para a capital paulista há apenas dez dias. Ele passou a morar em uma república e, na última sexta-feira, aceitou o convite de um amigo para uma festa LGBTQIA+ em uma casa noturna na rua Barra Funda.

Em conversa com a Agência Record, Lechinieski, que é homossexual, contou que tem depressão e que não costuma ingerir bebidas alcoólicas. Como ele acabou de se mudar para a capital e não tem amigos na cidade, decidiu aproveitar o feriado de carnaval e comparecer à festa.

Por volta das 3h, o amigo do fotógrafo foi embora e, em determinado momento, Lechinieski teve um ataque de pânico. No intuito de se acalmar, ele se sentou na calçada entre dois carros.

Aproveitando esse momento de vulnerabilidade, dois homens que ainda não foram identificados se aproximaram da vítima e tomaram seu boné. "Ficaram jogando de um lado para o outro, parecia uma brincadeira", relatou Lechinieski.

A suposta brincadeira evoluiu para agressão. Outras pessoas apareceram e cercaram o fotógrafo. Lechinieski apenas consegue se lembrar de alguns chutes e socos que sofreu.

Depois de ser espancada, a vítima ficou desacordada por mais de uma hora. Quando recobrou a consciência, percebeu que ainda estava com a pochete e o celular. O grupo, que não participou da festa, não levou nenhum objeto. "Foi um ataque de ódio", afirma.

Após pedir ajuda, Lechinieski recebeu os primeiros socorros de uma bombeira civil da festa e, em seguida, foi encaminhado ao pronto-socorro da Barra Funda. Devido à gravidade dos ferimentos, ele foi transferido para a Santa Casa de Misericórdia, onde descobriu que sofreu uma fratura no maxilar e outra na bochecha. À Agência Record, o rapaz contou que vai precisar realizar uma cirurgia no rosto, que ainda será agendada pela Santa Casa. 

Últimas