São Paulo SP: mortes por covid-19 são 60% superiores a março e maio

SP: mortes por covid-19 são 60% superiores a março e maio

Centro de Contingência diz que total de casos é 6 vezes maior do que em comparação à soma dos primeiros meses da pandemia

  • São Paulo | Do R7

Em SP, número de mortes é 60% superior ao registrado entre março e maio de 2020

Em SP, número de mortes é 60% superior ao registrado entre março e maio de 2020

Suamy Beydoun/Agif - Agência de Fotografia/Estadão Conteúdo

O número de mortes ocasionadas pelo novo coronavírus no mês de dezembro é 60% superior à soma de casos registrados entre março e maio desse ano, meses em que a pandemia teve início e chegou ao ápice. O número foi divulgado nesta terça-feira (29) em uma carta aberta assinada pelo Centro de Contingência do Coronavírus do Estado de São Paulo. 

Leia mais: Litoral norte de SP libera lojas, bares e praias no Réveillon

Os números de casos, internações e óbitos por covid-19 no mês de dezembro apontam um crescimento da pandemia no Estado, segundo o órgão. "A transmissão da doença retornou com força. O total de novos casos de coronavírus registrado no mês já é seis vezes maior do que em comparação à soma dos três primeiros meses da pandemia", afimou o Centro de Contingência. O número de mortes é 60% superior ao total de vítimas fatais entre março e maio.

De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde, São Paulo registrou em dezembro 186.099 novos casos do coronavírus. Neste mês, já são 3.807 novos óbitos pela doença, número 60% maior que o total de vítimas fatais dos três primeiros meses de circulação da covid-19 em Sçao Paulo, quando houve 2.375 mortes.

Com o intuito de conter a disseminação do vírus e o número de internações e óbitos, o Centro de Contingência indicou medidas de reforço da quarentena em todo o estado. No próximo final de semana (dias 1, 2 e 3) apenas os serviços essenciais funcionarão. A ação que busca reduzir a circulação do vírus e controlar a pandemia.

Veja mais: Sem restrições, comércio de SP volta a registrar aglomeração

O Centro de Contingência e a Secretaria da Saúde do Estado de SP reforçam a importância da manutenção das medidas de proteção, como: uso de máscaras, respeito ao distanciamento social, lavar as mãos com água e sabão, uso de álcool gel e evitar aglomerações.

Em uma carta de alerta aos cuidados para conter a disseminação do vírus, o Centro de Contingência declarou que "boa parte das pessoas que transmitem o coronavírus são assintomáticas, por isso festas, encontros sociais e aglomerações devem ser evitadas neste momento." 

Ao todo, são 45.902 mortes e 1.427.752 casos confirmados, conforme dados divulgados na segunda-feira (28). Entre o total de casos diagnosticados de covid-19, 1.270.469 pessoas estão recuperadas, sendo que 153.313 foram internadas e tiveram alta hospitalar.

As taxas de ocupação dos leitos de UTI são de 65,5% na Grande São Paulo e 61,1% no Estado. O número de pacientes internados é de 10.873, sendo 5.993 em enfermaria e 4.880 em unidades de terapia intensiva, conforme dados das 11h desta segunda-feira.

Veja também: SP: governo notifica 19 cidades que não aderiram às restrições

"A situação atual exige que redobremos os esforços em favor do bem coletivo. A vacina está próxima, mas enquanto ela não chega a única forma de prevenção depende de cada um de nós. Mais do que nunca é preciso do envolvimento e solidariedade de todos."

O Centro de Contingência é um grupo formado por uma equipe de 20 especialistas, entre médicos, cientistas, professores, epidemiologistas e infectologistas, que diariamente acompanham o cenário epidemiológico da Covid-19 e atuam em conjunto com o Governo do Estado de São Paulo com o objetivo de gerenciar a crise de saúde provocada pela pandemia.

Últimas