São Paulo SP: Suspeitos de manter fábricas clandestinas de joias são presos

SP: Suspeitos de manter fábricas clandestinas de joias são presos

Força-tarefa contra irregularidades trabalhistas e crimes ambientais ocorreram em Limeira, interior do estado

  • São Paulo | Do R7, com informações da Record TV

Local onde funcionava fábrica clandestina

Local onde funcionava fábrica clandestina

Reprodução/Record TV

Fábricas clandestinas, prestes a explodir. Trabalhadores com equipamentos de solda ao lado de produtos inflamáveis armazenados de maneira irregular. Em caso de incêndio, apenas extintores vencidos. Essas cenas foram flagradas durante uma operação do Ministério Público envolvendo policiais federais, peritos e fiscais da Vigilância Sanitária contra irregularidades trabalhistas e crimes ambientais em empresas do setor de joias, em Limeira, interior de São Paulo, nesta terça-feira (9).

“Força-tarefa conjunta que apura delitos relacionados à estocagem e armazenamento de produtos químicos usados na produção de joias e semijoias”, detalha o promotor Luiz Alberto Bevilacqua.

Ao todo, foram cumpridos dez mandados de busca e apreensão. Três pessoas foram presas. Em alguns endereços, os policiais flagraram o descarte irregular de  resíduos de metais pesados.

Um dos lugares foi todo corroído pelo ácido que, de longe, já sufoca e arde os olhos. Quando as equipes chegaram com o mandado de busca, várias pessoas trabalhavam sem nenhum tipo de proteção. Muitos moradores da cidade trabalham na produção de joias e bijuterias. A atividade responde por 40% da economia em Limeira. Um jovem funcionário tinha a roupa manchada com um material barrento encontrado por toda parte. Trata-se de substância altamente tóximca, usada na fabricação das joias. Quem mora perdo das fábricas denuncia problemas de saúde causados pelos produtos químicos

A cidade tem aproximadamente 600 empresas legalizadas que produzem cerca de 50 toneladas de peças por mês. A produção abastece o mercado nacional e também segue para América Latina e países como Estados Unidos, África do Sul, Portugal, Itália e Espanha.

Últimas