São Paulo SP vai fazer mutirão de cirurgias para tentar zerar fila no estado

SP vai fazer mutirão de cirurgias para tentar zerar fila no estado

São mais de 538 mil procedimentos cadastrados. Governo pretende pagar o dobro da tabela SUS a 54 categorias médicas

  • São Paulo | Do R7

Governo de SP vai fazer mutirão de cirurgias para tentar zerar fila no estado

Governo de SP vai fazer mutirão de cirurgias para tentar zerar fila no estado

Divulgação

O governador de São Paulo, Rodrigo Garcia (PSDB), anunciou nesta quarta-feira (25) o mutirão das cirurgias, para tentar zerar a fila de mais de 538,1 mil cirurgias cadastradas na Cross (Central de Regulação). Para atender à demanda reprimida, haverá cirurgias extras na rede estadual, remuneração dobrada nos hospitais do SUS (Sistema Único de Saúde) e contratação de serviços privados.

"É impossível ficar impassível diante de tudo isso. Como a rede própria não será suficiente, nós demos um passo além, convidando a rede privada, além da rede filantrópica, para que a gente consiga alcançar esse objetivo de zerar a fila", disse o governador.

Com duração prevista de quatro meses, a estratégia prevê 54 cirurgias ofertadas no SUS em sete especialidades – entre elas, aparelhos circulatório e digestivo, visão e abdominais, osteomolecular e geniturinário, glândulas endócrinas e nefrologia.

De acordo com o governo, sem o mutirão, o estado levaria cerca de dois anos para atender à demanda reprimida.

Remuneração

Uma das estratégias do governo é pagar um valor adicional de 100% do que já é pago pela tabela SUS do Ministério da Saúde para os 54 procedimentos nos serviços municipais, filantrópicos e santas casas do estado. Assim, cada hospital público vai receber o dobro para cada cirurgia realizada.

As unidades também deverão receber um valor adicional para a realização de consultas de avaliação e exames pré-cirúrgicos.

A remuneração diferenciada na rede pública começa a valer em todo o estado no dia 1º de junho e terá um investimento de R$ 350 milhões do Tesouro Estadual. O recurso, segundo o governo, é um incentivo para que os hospitais tenham condições de até triplicar a capacidade cirúrgica.

Será publicado nesta quinta-feira (26), no Diário Oficial do Estado, um chamamento público para a contratação dos procedimentos em serviços privados de todas as regiões.

O chamamento simplificado ficará aberto por dez dias, e os serviços que aderirem à iniciativa também receberão o dobro do valor da tabela SUS. Os interessados poderão entregar as propostas nos DRS (Departamentos Regionais de Saúde) das 17 regiões.

A contratualização está prevista para junho, e os atendimentos devem começar até 1º de julho.

A partir de 1º de junho, a Secretaria de Estado da Saúde realizará procedimentos extras em 56 hospitais da rede própria e em 37 AMEs (Ambulatórios Médicos de Especialidades). As unidades vão realizar 47,7 mil cirurgias – entre elas, de catarata, colecistectomia, hernioplastia, adenoidectomia e vasectomia.

Últimas