São Paulo Técnico de enfermagem é preso por suspeita de abuso sexual de jovem de 22 anos em UPA de SP

Técnico de enfermagem é preso por suspeita de abuso sexual de jovem de 22 anos em UPA de SP

Enfermeiro, de 34 anos, teria levado a vítima a uma sala, informado que ela precisaria passar por exames e trancado o local

  • São Paulo | Letícia Assis e Isabelle Gandolphi, da Agência Record

José Manoel, de 34 anos, foi preso em flagrante

José Manoel, de 34 anos, foi preso em flagrante

Reprodução/LinkedIn

Um técnico de enfermagem foi preso, sob suspeita de abusar sexualmente de um jovem de 22 anos durante atendimento médico dentro de uma UPA (Unidade de Pronto Atendimento) na região do Grajaú, zona sul de São Paulo.

O caso ocorreu no dia 17 de dezembro de 2022, na UPA Dona Maria Antonieta, localizada na rua Antônio Felipe Filho, altura do número 180, no Jardim Somara.

O suspeito já havia sido acusado de cometer outro abuso na mesma unidade uma semana antes, com outro paciente.

A vítima, que não quis se identificar, acusou o profissional da rede pública de saúde, de 34 anos, de se aproveitar da vulnerabilidade do paciente durante um procedimento médico para cometer os abusos.  

Segundo o jovem, que é pai de uma menina de oito meses, ele sofre de mialgia, que são dores musculares intensas, e estava sentindo fortes dores no peito por conta da hipertensão quando foi até a UPA.

Na consulta, o médico responsável solicitou um raio X da região do tórax e que o paciente fosse posto no soro, com remédios para a dor.

Pouco antes da medicação intravenosa terminar, a vítima foi abordada pelo técnico de enfermagem, que informou que o paciente precisaria realizar um eletrocardiograma e o levou a uma sala reservada.

Segundo o jovem, já dentro do ambiente de exame, enquanto os dois estavam a sós, o enfermeiro pediu para ele se deitar e começou a massagear seus braços e suas pernas.

Após cerca de uma hora trancados dentro da sala, a enfermeira-chefe do setor bateu à porta e questionou a demora do eletrocardiograma, pois o exame dura em média 15 minutos.

Ao ser indagado, o técnico alegou que o exame demorou devido à agitação do paciente e a um problema no aparelho.

A vítima, já fora da sala, procurou a enfermeira, disse que iria coletar seus exames e contou que, na sala ao lado, o técnico teria cometido o abuso, ao apertar seus braços e abaixar a sua calça.

Após o relatório da enfermeira, a Polícia Militar foi acionada e o enfermeiro, preso em flagrante. Ele foi encaminhado à delegacia, onde preferiu se manter em silêncio, e foi indiciado pelo crime de estupro de vulnerável.

De acordo com a polícia, as suspeitas são de que o técnico de enfermagem tenha posto algo no soro da vítima. Essa era a primeira vez que o jovem se consultava no hospital.

O caso, que continua em investigação, foi registrado no 101º DP (Jardim das Imbuias).

O Conselho Regional de Enfermagem acatou a denúncia e informou que o registro funcional de técnico será caçado. Já a Secretaria Municipal de Saúde afirmou, em nota, que o suspeito teve o contrato de trabalho suspenso.

Últimas