São Paulo Triângulo amoroso pode ser motivo de morte de crianças em incêndio

Triângulo amoroso pode ser motivo de morte de crianças em incêndio

Atual namorado de um dos pais das vítimas foi amante do outro pai, que está preso por suspeita de cometer o crime na Grande SP

  • São Paulo | Do R7, com informações da Record TV

Ricardo tinha como amante o homem que hoje é o namorado de seu ex-companheiro

Ricardo tinha como amante o homem que hoje é o namorado de seu ex-companheiro

Reprodução / Facebook

Um triângulo amoroso pode estar por trás da motivação da morte de três crianças em um incêndio dentro de casa em Poá, na Grande São Paulo. Um dos pais das vítimas, Ricardo Reis de Faria e Vieira, de 33 anos, está preso sob suspeita de ter provocado o incêndio. A polícia investiga por que as crianças estavam trancadas no quarto e por que ele não arrombou a porta. 

Ricardo foi companheiro de Leandro Vieira por 16 anos. O relacionamento terminou há três meses por conta de uma traição de Ricardo, que se relacionou com um outro homem por cerca de um ano. Leandro descobriu e terminou tudo. Hoje, Leandro tem um novo relacionamento, justamente com o ex-amante de Ricardo.

A polícia investiga se a relação pode ter motivado o possivel crime. A expectativa é ouvir essa semana parentes, amigos e outras testemunhas sobre a relação. 

Ricardo, que acionou a polícia, deu diferentes versões para o incêndio e chegou a dizer à polícia que o responsável seria o atual namorado de Leandro.

A polícia entrou novamente na casa e levantou pistas importantes que reforçam a hipótese de crime. Além da porta do quarto, a porta do banheiro da suíte onde as vítimas dormiam estava trancada, reduzindo assim, as rotas de fuga das chamas. As chaves do quarto também não foram encontradas. 

O delegado responsável pelas investigações, Eliardo Amoroso Jordão, contou ao Cidade Alerta, da Record TV, que com a polícia está um molho de chaves em que deveria, mas não está, a chave do quarto. A polícia também investiga qual era o remédio que Ricardo alega ter tomado naquela noite. Ele chegou a dizer que chegou a ouvir os gritos da filha mais velha, Fernanda, de 14 anos, mas chegou a dizer que não sabia dizer se se tratava de um sonho. Ele também chegou a alegar que as crianças haviam sido raptadas. A família morava há seis meses na casa, que passou por reformas e teve a parte elétrica refeita, segundo a polícia. 

Últimas