São Paulo 'Venho de uma geração onde piadinhas eram normais', afirma Camilo Cristófaro sobre fala racista

'Venho de uma geração onde piadinhas eram normais', afirma Camilo Cristófaro sobre fala racista

Áudio do vereador de SP com a frase 'é coisa de preto, né?' vazou durante sessão da Câmara. Parlamentar foi desfiliado do PSB

  • São Paulo | Do R7

Cristófaro foi desfiliado do PSB

Cristófaro foi desfiliado do PSB

Reprodução/Redes sociais

O vereador Camilo Cristófaro, que foi desfiliado do PSB após uma fala racista na sessão da Câmara Municipal, pediu desculpas à população negra. "Venho de uma geração onde as piadinhas eram normais e preciso passar por uma desconstrução desses preconceitos. Cometi um erro", escreveu em nota.

Durante reunião da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) dos Aplicativos nesta terça-feira (3), vazou um áudio do vereador, que acompanhava a sessão de forma remota. “Varrendo com água na calçada. É coisa de preto, né?”, disse.

O parlamentar se justificou: "Esse episódio destrói toda a minha construção política na busca de garantia à cidadania dos paulistanos, principalmente os que têm suas portas de acesso ao direito diminuídas pelo racismo estrutural. Apesar de ter tido uma fala racista, eu não sou racista em minhas atitudes e, com o tempo, vocês terão a oportunidade de constatar isso".

Cristófaro foi desfiliado do PSB antes de o diretório estadual acolher denúncia e instalar procedimento de investigação para julgamento do parlamentar. O processo de expulsão levaria mais tempo, com direito ao contraditório e a ampla defesa do vereador. Com isso, o presidente estadual do partido, Jonas Donizette, aceitou o pedido de desligamento que havia sido encaminhado pelo próprio vereador em 28 de abril.

De acordo com Camilo Cristófaro, o pedido de desfiliação do partido havia sido feito "por não concordar com o rumo que o PSB vinha tomando". No documento, o parlamentar solicita a anuência da legenda para imediato desligamento do diretório municipal e estadual.

"Eu, como humano, tenho que me reconstruir para ser um vereador que combate qualquer forma de discriminação, principalmente quando mantenho valores de uma sociedade que está se transformando para melhor, onde todos devem ser respeitados", informou o vereador.

O presidente da Câmara de São Paulo, Milton Leite (DEM), comentou o episódio em nota oficial: "É com indignação imensa que lamento mais uma denúncia de episódio racista dentro da Câmara, local democrático, livre e que acolhe a todos. Como negro e presidente, tenho lutado com todas as forças contra o racismo. O caso será apurado pela Corregedoria da Câmara".

Últimas