São Paulo Vídeo: PM agride aluno de escola da Grande SP com mata-leão, golpe proibido desde 2020

Vídeo: PM agride aluno de escola da Grande SP com mata-leão, golpe proibido desde 2020

Imagens gravadas pelos estudantes registraram a ação do policial, que parou após a chegada do diretor da instituição

  • São Paulo | Letícia Dauer e Adriana Victorino, da Agência Record

Um policial militar agrediu um estudante dentro de uma escola pública, na última quinta-feira (24), em Santo André, região metropolitana de São Paulo, com um mata-leão. O golpe foi proibido pela instituição em 2020. Imagens gravadas pelos estudantes registraram a ação do policial.

O caso aconteceu na Escola Estadual Ondina Rivera, localizada na rua Marquês de Alegrete, 300, na Vila Humaitá.

De acordo com a mãe do aluno, Sidneia Aparecida, o filho, de 17 anos, foi à escola por volta das 19h00. No local, o menino conversava com amigos quando policiais que realizavam uma ronda escolar abordaram o garoto, afirmando que ele havia desacatado os agentes.

Os policiais iniciaram a abordagem, a princípio, pedindo para que ele entrasse na viatura, contou a mãe. O adolescente se negou, dizendo que assistiria à aula.

Alunos da instituição gravaram a abordagem. Nas imagens, é possível ver uma aglomeração no pátio externo da escola no momento em que os dois policiais abordam o menino, que veste uma camiseta vermelha e uma bermuda jeans.

O vídeo registra o adolescente se negando a entrar na viatura policial, afirmando que não havia feito nada, e pedindo para que os amigos ligassem para o seu tio. Em seguida, o policial puxa o menino pelo braço e aplica uma chave cervical, mais conhecida como mata-leão, arrastando a vítima para longe da aglomeração.

Um homem, indicado pelos alunos como diretor da instituição, aparece para questionar o motivo da abordagem. Os policiais soltam o garoto, que pede novamente para que entrem em contato com familiares.

À reportagem, Sidneia contou que quando chegou ao local, o filho chorava explicando a situação. Eles foram encaminhados ao Centro de Polícia Judiciária de Santo André, onde o caso foi registrado como resistência. Foram solicitados exames de corpo de delito.

Nota da Polícia Militar

Em nota, a Polícia Militar argumentou que os policiais teriam sofrido desacato, e que, segundo a corporação, diante da resistência do garoto, a equipe teria usado "dos meios disponíveis, necessários e proporcionais conteve o adolescente até a chegada de sua responsável legal". 

PM usou golpe proibido desde 2020 contra estudante de 17 anos

PM usou golpe proibido desde 2020 contra estudante de 17 anos

Reprodução

Nota da Secretaria Estadual de Educação

A Secretaria da Educação do Estado de São Paulo (Seduc-SP) repudia toda e qualquer forma de violência e lamenta o ocorrido na E.E. Ondina Rivera Miranda Cintra, em Santo André.

Os pais do aluno foram chamados até a escola. A equipe do Conviva, programa de convivência e segurança da Secretaria, está à disposição para dar suporte ao aluno, caso a família opte pelo recurso, e o caso foi registrado no Placon, sistema que monitora a rotina das escolas da rede estadual.

Últimas