Saúde Adenovírus pode estar por trás de misteriosos casos de hepatite em crianças

Adenovírus pode estar por trás de misteriosos casos de hepatite em crianças

Segundo os Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos, os casos relatados no país foram causados pelo adenovírus 41

AFP
  • Saúde | por AFP

Freepik

Nove crianças pequenas afetadas por hepatite no sul dos Estados Unidos, no estado do Alabama, testaram positivo para um patógeno comum chamado adenovírus 41, o que explicaria essa grave inflamação do fígado, disse nesta sexta-feira (29) a agência federal americana de saúde pública.

As crianças, de 1 a 6 anos, estão entre cerca de 170 casos em 11 países nas últimas semanas, de acordo com a OMS (Organização Mundial de Saúde). Outro estado dos Estados Unidos, Wisconsin, está investigando uma morte.

O novo artigo dos CDC (Centros de Controle e Prevenção de Doenças, na tradução do inglês) trata especificamente do grupo do Alabama, mas as pesquisas seguem em todo o país.

"Neste momento, acreditamos que o adenovírus pode ser a causa desses casos relatados, mas ainda estão sendo investigados outros possíveis fatores ambientais e situacionais", disse a agência em um comunicado que acompanha o estudo.

Sabe-se que o adenovírus 41 causa gastroenterite nas crianças, mas "geralmente não é conhecido como uma causa de hepatite em crianças saudáveis", segundo os CDC.

No entanto, uma pesquisa descartou outras exposições comuns, incluindo a Covid-19, os vírus das hepatites A, B e C (as causas mais comuns de hepatite nos EUA), a hepatite autoimune e a doença de Wilson, um transtorno hereditário raro.

Os nove casos do Alabama ocorreram entre outubro de 2021 e fevereiro de 2022. Três das crianças tiveram insuficiência hepática aguda, duas das quais precisaram de transplante de fígado.

"Todos os pacientes se recuperaram ou estão se recuperando, inclusive os que receberam transplante", informou o estudo.

Antes da hospitalização, a maioria das crianças teve vômito e diarreia, enquanto algumas apresentaram sintomas das vias respiratórias superiores. Durante as internações, a maioria ficou com olhos e pele amarelados (icterícia) e teve inchaço do fígado. 

Na semana passada, os CDC emitiram um alerta sanitário para avisar médicos e autoridades de saúde pública que estão atentos a casos similares.

Nos Estados Unidos, Wisconsin está investigando quatro casos, incluindo as crianças que ficaram em estado grave, uma que precisou de transplante de fígado e uma morte. Também foram notificados casos em Illinois e em outros lugares.

Os CDC recomendam que as crianças estejam em dia com suas vacinas e que seus pais e responsáveis tomem medidas preventivas, como a higiene das mãos, evitar pessoas doentes, cobrir-se ao tossir e espirrar, e evitar tocar olhos, nariz e boca.

Os adenovírus são transmitidos geralmente por contato pessoal próximo, gotículas respiratórias e superfícies. Há mais de 50 tipos deles — os mais comuns causam o resfriado, mas também muitas outras doenças.

Últimas