Saúde Bebê nasce dentro da bolsa da mãe em parto raro em Barretos (SP). Assista ao vídeo

Bebê nasce dentro da bolsa da mãe em parto raro em Barretos (SP). Assista ao vídeo

O chamado parto empelicado acontece uma vez a cada 80 mil nascimentos

  • Saúde | Diego Junqueira, do R7

No parto empelicado, o próprio rompe facilmente a bolsa amniótica

No parto empelicado, o próprio rompe facilmente a bolsa amniótica

Reprodução/Gisele Correa

Um bebê nasceu empelicado no último dia 2 de agosto, em Barretos, no interior de São Paulo. Esse é um tipo raro de parto, que acontece a cada 80 mil nascimentos, quando o feto nasce sem romper o saco amniótico.

O caso é ainda mais curioso porque aconteceu de uma gravidez de gêmeos, nascidos de cesárea após 36 semanas de gestação.

“Eram gemelares de placentas diferentes. Enquanto a pediatra fazia o atendimento na primeira criança, a gente aguardava para fazer o parto do segundo gemelar. Mas foi expelindo espontaneamente. Aí saiu o feto com toda a membrana intacta”, disse o médico obstetra Waldemar Teixeira de Moraes e Souza, da Santa Casa de Misericórdia de Barretos.

O bebê foi então colocado sobre a barriga da mãe. Ele continuou respirando pelo cordão umbilical, protegido da área externa pela membrana.

— Estava sobre a barriga da mãe, enquanto a gente aguardava para retirar [da bolsa], porque o primeiro nenê estava sendo aspirado e entubado.

O momento foi gravado por uma enfermeira do hospital, Gisele Corrêa, que divulgou o vídeo em seu perfil no Facebook. Republicado por vários outros perfis, uma das postagens já tem mais de 10 milhões de visualizações.

Emocionada, a enfermeira escreveu:

“Olha o que tive a honra de filmar na minha querida Santa Casa Misericórdia.. Parto empelicado do 2 gemelar!!!Foi mágico. . Emocionante pra toda equipe! !! (...) Estavamos aguardando estabilizar o primeiro Baby e o segundo veio de mansinho, aliás, olha aí que lindo!!! Momento histórico! !!!”.

Veja o vídeo:

O médico explicou que era possível aguardar para iniciar o segundo procedimento justamente porque os bebês eram de placentas diferentes.

— Eu mesmo rompi a bolsa e levei aos cuidados da pediatra.

Com 35 anos de profissão, Souza estima que já tenha feito “mais de 10 mil partos”. Essa é a segunda vez que ele presencia um parto empelicado, mas a primeira documentada.

Os dois bebês, ambos do sexo masculino, estão no berçário da Santa Casa e passam bem, assim como a mãe deles.

Últimas